… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 26 de abril de 2017

SALMO 3

C. H. Spurgeon
 O Tesouro de David
 SALMO 3
Um Salmo de David quando ele fugia diante de Absalão, seu filho. Podemos recordar a triste história da fuga de David do seu próprio palácio, quando, em plena noite, ele cruzou o vau do Cedron e se escapou com uns poucos de servidores fiéis, para, durante um tempo, se esconder da fúria do seu filho rebelde. Recordemos que nisto David era um tipo do Senhor Jesus Cristo. Ele também fugiu; Ele também passou o vau do Cedron quando o seu próprio povo Se rebelou contra Ele, e com um grupito de seguidores Se dirigiu ao Jardim do Getesêmane. Também Ele bebeu as águas do arroio no seu caminho, e, portanto, levantou a Sua cabeça. Muitos estudiosos, titulam este Salmo de «O hino matutino». Oxalá que nos despertemos sempre com a santa confiança nos nossos corações e um cântico nos nossos lábios!

Este Salmo pode ser dividido em quatro partes de dois versículos cada uma. Nos primeiros dois versículos temos a David apresentando uma queixa a Deus contra os seus inimigos; depois, declara a sua confiança no Senhor (3, 4), canta a sua segurança no sono (5, 6) e sente-se corroborado para o conflito futuro (7, 8). C. H. S.

Vers. 1. SENHOR, como se têm multiplicado os meus adversários! Os adversários vêm em grupo. A aflição tem uma família numerosa. São muitos os que se levantam contra mim. As legiões dos nossos pecados, os exércitos de inimigos, a multidão de dores corporais, a hoste de aflições espirituais, e todos os aliados da morte e do Inferno, dispuseram-se em batalha contra o Filho do homem. C. H. S.

Que enganosos e perigosos são todos eles! E que pouca fidelidade e perseverança se acha entre os homens! David tinha o afeto dos seus súbditos tanto quanto pode havê-lo tido qualquer outro rei, e, contudo, de repente, perdeu-os todos! Matthew Henry

Vers. 2. Muitos dizem da minha alma: Não há salvação para ele em Deus. (Selah) David queixa-se diante do seu amante Deus da pior arma dos seus inimigos nos seus ataques e da gota mais amarga das suas penas. Este era o comentário mais efervescente de todos eles, pois declaravam que não havia salvação para ele em Deus. Contudo, David sabia na sua própria consciência que tinha dado base, até certo ponto, para esta exclamação, porque tinha cometido pecado contra Deus à própria luz do dia.

Se todas as provas que nos vêm do Céu, todas as tentações que ascendem do Inferno, e todas as cruzes que se levantam da Terra pudessem mesclar-se e oprimir-nos, não poderiam fazer uma prova tão terrível como a que está contida neste versículo. É a mais amarga de todas as aflições: temer que não haja ajuda nem salvação para nós em Deus. Não obstante, recordemos que o nosso bendito Salvador teve de sofrer isto em grau supremo quando exclamou: «Deus Meu, Deus Meu, por que Me desamparaste?» (Sl 22:1, ARC, Pt) C. H. S.

Quando o crente põe em dúvida o poder de Deus, ou o seu interesse nEle, o seu gozo desaparece como o sangue sai de uma artéria cortada. Este versículo é, verdadeiramente, uma ferida dolorosa. William Gurnall

Um filho de Deus sobressalta-se ante o mesmo pensamento de se desesperar da ajuda de Deus; não podes afligi-lo com algo pior do que tentar persuadi-lo de que «Não há salvação para ele em Deus». Matthew Henry

Selah. A palavra ocorre setenta e três vezes nos Salmos, e três vezes no livro do Habacuc. Albert BARNES

Vers. 3. Tu és a minha glória. Oh, que tenhamos a graça de ver a nossa glória futura no meio do opróbrio presente! Há uma glória presente nas nossas aflições, se podemos discerni-la, porque não é algo sem importância o ter a comunhão de Cristo nos nossos sofrimentos. David foi honrado quando subiu o monte das Oliveiras, chorando, com a cabeça coberta; porque em tudo foi feito como o seu Senhor.

Nós podemos aprender, a este respeito, a glorificarmo-nos também nas tribulações! C. H. S.

Vers. 4. Com a minha voz clamei ao SENHOR. Quando a oração vai na vanguarda, no seu devido tempo a libertação cobre a retaguarda. Thos. Watson

E ele do seu santo monte me respondeu. Com frequência ouvi que algumas pessoas dizem em oração: «Tu escutas a oração, e a ela respondes, oh Deus»; mas a expressão contém algo supérfluo, visto que para Deus escutar é, segundo as Escrituras, o mesmo que responder. C. H. S.

Vers. 5. Eu me deitei e dormi. Há um sono de presunção; Deus nos livre dele! Há o sono da santa confiança; Ajude-nos Deus a fechar os olhos para desfrutarmos dele! C. H. S.

Deve ter sido verdadeiramente uma branda almofada a que pôde fazer com que David esquecesse o perigo em que se encontrava, quando um exército rebelde estava avançando em sua busca; contudo, tão transcendente é a influência desta paz, que pode fazer com que a criatura se deite tão alegremente para dormir na sepultura como se fosse a cama mais branda. Pode-se dizer que o menino que chama para que o ponham na cama está disposto; alguns dos santos desejaram que Deus os pusesse a descansar nas suas camas de pó, e isto, não como resultado de uma desinquietação ou aflição presente, como fez Job, mas por um doce sentido desta paz em seu peito. «Agora despede o teu servo em paz, porque os meus olhos viram a tua salvação», foi o cântico do ancião Simeão. Wm. Gurnall

Uma boa consciência pode dormir na boca de um canhão; a graça é uma cota de malha para o cristão, o qual não teme a flecha nem a bala. Thos. Watson

O SENHOR me sustentou. Ser-nos-ia muito útil considerar o poder sustentador manifestado em nós enquanto estamos dormindo. No fluxo do sangue, no dilatar-se e contrair dos pulmões, etc., no corpo e na continuidade das faculdades mentais, enquanto que a imagem da morte está sobre nós. C. H. S.

Cristo, nas palavras deste versículo, dá a entender a Sua morte e a Sua sepultura. Martinho Lutero

Vers. 6. Não temerei dez milhares de pessoas que se puseram contra mim e me cercam. O Salmista confiará apesar das aparências ameaçadoras. O Salmista não temerá ainda que haja dez mil inimigos que o rodeiem. Os crentes débeis agora estão dispostos a desculpar-se, e nós mesmos estamos muito dispostos a fazer uso de desculpas; em vez de sobrepor-nos às debilidades da carne, refugiamo-nos sob a mesma e a usamos como uma desculpa. O confiar somente quando as aparências são favoráveis, é navegar só com o vento e a maré, crer só quando podemos ver. Oh!, sigamos o exemplo do Salmista e procuremos esta fé sem limite que nos permitirá confiar em Deus, aconteça o que acontecer. Philip Bennett Power in «Eu quero» nos Salmos»

Não importa quem sejam os nossos inimigos, por mais que sejam legiões quanto ao número; quanto ao poder, principados; em subtileza, serpentes; em crueldade, dragões; em vantagem de localização, príncipes do ar; quanto a malícia e a maldades espirituais; mais forte é o que está connosco do que os que estão contra nós; não há nada que nos possa separar do amor de Deus. Em Cristo Jesus, nosso Senhor, seremos mais do que vencedores. Wm. Cowper

Vers. 8. A salvação vem do SENHOR. Este versículo contém a soma e substância da doutrina calvinista. Esquadrinha as Escrituras, e se as lês com a mente aberta e sincera, persuadir-te-á de que a doutrina da salvação, pela graça somente, é a grande doutrina da Palavra de Deus. Este é um ponto com respeito ao qual estamos em pugna constante. Os nossos oponentes dizem: «A salvação pertence à vontade livre do homem; senão ao mérito do homem, pelo menos à vontade do homem»; mas nós sustentamos e ensinamos que a salvação desde o começo até ao fim, em cada ponto e na minúcia da mesma, pertence ao Deus Altíssimo. É Deus que escolhe o Seu povo. Ele chama-os pela Sua graça; Ele aviva-os por meio do Seu Espírito, e guarda-os com o Seu poder. Não é do homem nem pelo homem; «Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que Se compadece.” (Rm 9:16, ARC, Pt) Todos temos de aprender esta verdade experimentalmente, porque a nossa carne e sangue orgulhosos nunca nos permitirão aprendê-la de outra maneira. C. H. S.

Sobre o teu povo seja a tua bênção. Aqueles cristãos de primeira magnitude, dos quais o mundo não era digno, «experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada». (Hb 11:36-37, ARC, Pt) Como! E durante todo este tempo de sofrimento eram bem-aventurados? Um homem carnal poderia pensar que se isto é uma bênção, que Deus o livre dela.

Mas, seja qual seja a opinião que tenhamos do facto, o nosso Cristo Salvador, disse que o homem piedoso é bem-aventurado; ainda que esteja de luto, ainda que seja um mártir, é bem-aventurado. Job, sentado nas cinzas do lixo, era bem-aventurado. Os santos são bem-aventurados quando são amaldiçoados. Os santos, ainda que sejam machucados e feridos, são bem-aventurados. Thos. Watson


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: