… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 19 de fevereiro de 2017

19 de fevereiro de 1473 • Copérnico, o filósofo do céu



19 de fevereiro de 1473 Copérnico, o filósofo do céu


“O astrónomo Copérnico conversa com Deus”, por Jan Matejko

Nicolau Copérnico, nascido neste dia, 19 de fevereiro de 1473, em Toruń e tendo morrido em Frauenburgo, a 24 de maio de 1543, foi sem o desejar um dos grandes revolucionários da história da ciência. A sua teoria heliocêntrica que ele propôs pela primeira vez acabou por influenciar uma mudança radical e completa, não só na concepção do cosmo como se tinha até então, como também na própria maneira de ver o Homem.

Na na sua teoria heliocêntrica o Sol é o centro de tudo: "O que é na verdade mais belo que o céu, que, certamente, contém todos os atributos da beleza? Isto é proclamado pelos seus verdadeiros nomes, caelum e mundus, este último com significando clareza e ornamento, como a escultura antiga."

Preso à sua torre de observação em Frauenburg, hoje Turon, um lugarejo nas margens do Báltico, na antiga Prússia oriental, com um triquetrum e um baculus, instrumentos primitivos que ele mandara fazer, todos sem lentes, aquele sacerdote tímido, cinzento, de vida insípida, solitária e avarenta, convertido em filósofo do céu, fez desmoronar uma arquitetura astronómica que durava há uns 17 séculos!

Nicolau Copérnico ao dedicar-se minuciosamente ao estudo do “Almagesto” do astrónomo Claudius Ptolemaeus, do século II, e a outros especuladores celestiais, gregos e árabes, concluíra que a Terra não era o centro do Universo. Era-o o Sol! Esta era uma teoria de tal forma revolucionária que Copérnico escreveu no seu “De revolutionibus orbium coelestium” (do latim: "Das revolucões das esferas celestes"): "quando dediquei algum tempo à ideia, o meu receio de ser desprezado pela sua novidade e o aparente contra-senso quase me fez largar a obra feita".

Durante longos 36 anos, o cónego Nicolau Copérnico manteve-se irredutível. Não queria de modo nenhum publicar o seu tratado sobre uma nova teoria cósmica. Curiosamente, Copérnico acabaria por morrer, em Frauenburgo, no mesmo dia (24 de maio de 1543) do da publicação da sua obra “De revolutionibus orbium coelestium” ("Das revolucões das esferas celestes ").

A sua teoria do Heliocentrismo, que colocou o Sol como o centro do Sistema Solar, contrariando a então vigente teoria geocêntrica (que considerava, a Terra como o centro), é tida como uma das mais importantes hipóteses científicas de todos os tempos, tendo constituído o ponto de partida da astronomia moderna.

Naquele tempo, a Igreja Católica aceitava essencialmente o geocentrismo aristotélico, (embora a esfericidade da Terra estivesse em aparente contradição com interpretações literais de algumas passagens bíblicas). Ao contrário do que se poderia imaginar, durante a vida de Copérnico não se encontram críticas sistemáticas ao modelo heliocêntrico por parte do clero católico. De facto, membros importantes da cúpula da Igreja ficaram positivamente impressionados pela nova proposta e insistiram para que essas ideias fossem mais desenvolvidas. Contudo a defesa, quase um século depois, por Galileu Galilei, da teoria heliocêntrica vai deparar-se com grandes resistências no seio da mesma Igreja Católica.


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: