… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 21 de março de 2017

21 de março de 1900 • Chegada ao Brasil do Rev. Christian J. Broders

21 de março de 1900Chegada ao Brasil do Rev. Christian J. Broders
Templo da igreja luterana de São Pedro, município de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, a primeira congregação evangélica luterana, organizada em 1 de junho de 1900

Neste dia, 21 de março de 1900, chega ao Brasil, Christian James Broders, missionário cristão norte-americano. Christian James Broders nasceu no dia 22 de novembro de 1867 em Nova Orleães, Louisiana e morreria em 27 de novembro de 1932 em São Louis City, no Missouri, também nos Estados Unidos da América. Foi casado com Mathilda Schaeperkoetter Broders (1871 - 1950), da qual nasceu uma única filha, Leonora Broders (1896 – 1962).



O Rev. C. J. Broders, com um bom currículo, foi inclusive capelão do exército norte-americano na guerra contra a Espanha, tendo trabalhando em Cuba. No Brasil, depois de muita pesquisa, este pastor descobriu que na colónia de emigrantes alemães de São Pedro, no Rio Grande do Sul, havia várias famílias desejosas de fundar uma congrega ao luterana. Broders rumou a São Pedro, fundando ali a primeira congregação “missuriana” no Brasil, denominada Comunidade Evangélica Luterana São João.

Foi em 25 de julho de 1824 que desembarcaram os primeiros colonos alemães no Rio Grande do Sul, com o apoio do imperador D. Pedro I, interessado em promover e colonizar este estado. Desde então, estão luteranos no Brasil. Já naquela época um pastor veio com eles, J. G. Ehlers. Em 1886 surgia o Sínodo Evangélico Luterano. Um dos fundadores deste Sínodo, o pastor Johann F. Brutschin desligou-se deste Sínodo por não concordar com algumas doutrinas.



Adoentado em casa, anos mais tarde, o pastor Brutschin escreve ao Sínodo de Missouri, nos E. U. A. relatando a situação dos alemães evangélicos emigrados no Brasil e pedindo a sua ajuda. Em abril de 1899, o Sínodo de Missouri resolve investir numa missão brasileira. Em novembro daquele mesmo ano, um texto incentivava os irmãos americanos: “Avante! Rumo à missão no Brasil. Deus deu a Sua bênção para ela.” A resposta foi imediata: uma oferta de 2 mil dólares norte-americanos chegou. Assim, a 21 de março de 1900, com este dinheiro no bolso chegava ao Brasil, Christian J. Broders para avaliar a possibilidade de fazer missão no Brasil.



Depois de muitas conversas e decepcionado com as festas e bebedeiras nas igrejas, Broders afirma “não posso recomendar o Rio Grande do Sul como campo missionário.” Broders resolve regressar aos Estados Unidos, mas antes faz uma última investigação. Descobre que na região de Pelotas há luteranos querendo um pastor! E lá vai ele, de carreta e a cavalo, atravessando campos e valados. Na localidade São Pedro ele encontra o sr. Gowert. Depois de longas conversas eles concluem que confessam as mesmas doutrinas e fundam primeira a congregação evangélica luterana mo Brasil , em 1 de junho de 1900.



Em Estância Velha, RS. no dia 12 de abril de 1900 é entregue a primeira mensagem no Brasil, pelo Rev. Broders.



Broders fundou, no dia 1 de junho de 1900, com 17 famílias, a Comunidade Evangélica Luterana São João, em São Pedro, a 40 km de Pelotas, RS, a primeira igreja da IELB no Brasil.



A IELB - Igreja Evangélica Luterana do Brasil - nasceu como uma missão desenvolvida pela Igreja Luterana - Sínodo de Missouri, dos Estados Unidos da América, entre emigrantes alemães residentes no Rio Grande do Sul. A decisão de iniciar esta missão foi tomada em 1899 e, no início de 1900, o Rev. Christian J. Broders chegou ao Brasil, para colher informações sobre a situação religiosa e sobre as possibilidades de ser iniciada a missão no Brasil.



A Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), é originária do trabalho missionário desenvolvido a partir de 1900 pelo Sínodo Evangélico Luterano de Missouri, Ohio e outros estados, conhecido desde 1947, como The Lutheran Church - Missouri Synod (LC-MS).



O sínodo de Missouri foi fundado em 1847, sob a direção do pastor Carl Ferdinand Wilhelm Walther, que, em 1838, havia emigrado da Alemanha para os Estados Unidos por razão de consciência. Ao lado da Igreja Luterana, surgiu, na Europa, a chamada Igreja Reformada. Em 1817, o rei da Prússia, Frederico Guilherme III, decretou a união da Igreja Luterana com a Reformada, chamando-a de Igreja Evangélica Unida, para acabar com o que ele definia como querelas religiosas. Muitos luteranos discordantes dessa união, que ia contra as suas consciências e violava as suas convicções religiosas, preferiram emigrar para os Estados Unidos da América. Ali puderam desfrutar da liberdade de consciência e de culto, que lhes eram assegurados pela constituição democrática. Formaram a Igreja Luterana - Sínodo de Missouri, com a qual a IELB se identifica. 


Já havia no início da colonização alemã no Brasil alguns pastores não formados que serviam entre os emigrantes de alemães. De 1860 em diante o consistório prussiano enviou vários pastores, muitos deles procedentes da Igreja Evangélica Unida da Alemanha. Na sua grande maioria eles são não adeptos da doutrina e praxe genuinamente luteranas. Havia, no entanto, entre esses os que tomavam a sério a sua missão. Estes, em 1868 reuniram-se em São Leopoldo para constituir uma organização sinodal, com alguns líderes querendo filiá-la na Igreja Oficial Prussiana da Alemanha, formada pela fusão dos luteranos e reformados. Houve protestos e o intento fracassou. Em 1886 fundou-se o Sínodo Rio-Grandense, sob a liderança de Rev. Wilhelm Rotermund, uma igreja que pretendia reunir todos os pastores e congregações que se chamassem Protestantes. Mais tarde, juntamente com o Sínodo Evangélico Luterano de Santa Catarina, Paraná e de outros Estados da América do Sul (1905), a Associação de Comunidades Evangélicas de Santa Catarina e Paraná (1911) e o Sínodo Evangélico do Brasil Central formaram em 1968 a Igreja de Confissão Luterana no Brasil (IELCB) que congrega hoje, aproximadamente, um milhão de membros. 


O trabalho “missouriano” no Brasil possui uma relação muito importante com o pastor Johann F. Brutschin. Formado pelo Instituto Missionário de Crischona, Suíça, e que foi enviado para o Brasil e lá chegou no ano de 1867. O navio em que viajava naufragou na costa do Rio Grande do Sul. Todos os passageiros do navio naufragado se salvaram, perdendo, no entanto, toda a bagagem. Brutschin, primeiro, serviu como pastor assistente em São Leopoldo/RS. Chegou a ser membro da diretoria do Sínodo Rio-Grandense, mas o seu desejo de um sínodo luterano fê-lo desligar-se do Sínodo Rio-Grandense, e tornou-se professor duma escola complementar em Novo Hamburgo. Um seu amigo da Alemanha, do seu tempo de estudos havia-se tornado pastor do Sínodo de Missouri, nos Estados Unidos da América e enviava-lhe dos Estados Unidos a revista oficial do sínodo “Der Lutheraner” e a revista teológica “Lehre und Wehre”, e Brutschin gostou da posição doutrinária expressa nos textos e pediu, assim, a sua filiação àquela denominação. Johann Friedrich Brutschin, foi pastor em Dois Irmãos de 1868 a 1904.



A pedido do pastor Johann F. Brutschin, a Igreja Luterana - Sínodo de Missouri dos Estados Unidos enviou para o Brasil o pastor Christian J. Broders. Esta Resolução da Convenção foi tomada em 1889 em São Louis. Assim, quando Broders aportou no Brasil em 21 de março de 1900, encontrou-se em Novo Hamburgo com Brutschin e pôs-se a realizar uma pesquisa das condições religiosas entre os emigrantes alemães no Brasil. Encontrou muita indiferença, encontrou maior interesse por bailes, por cachaça e por jogos a dinheiro. Os descendentes dos emigrantes alemães, que já eram de segunda e terceira geração, já haviam perdido todo o sentimento religioso. No seu parecer à Comissão Missionária, Broders relata: “Não posso recomendar o Rio Grande do Sul como campo missionário” (Crónicas, p. 15). Por isso, resolveu empreender sua viagem de regresso aos Estados Unidos. Estando a caminho, chega a Pelotas e resolve fazer uma última tentativa. Pede informações sobre a situação religiosa entre os emigrantes alemães no Brasil, constata que na maioria das colónias alemãs havia pastores não formados, e que a maioria das igrejas da região sul era atendida por esses chamados “pseudopastores”, alguns de formação e conduta moral questionável.



Contudo, Broders descobre através de um colono que, na colónia de emigrantes alemães de São Pedro, a uns 40 quilómetros de Pelotas, havia várias famílias que pretendiam fundar uma congregação luterana, e que estavam à procura de um pastor luterano. Broders dirigiu-se para lá, onde encontrou o senhor August W. Gowert, luerano procedente da Rússia, que, depois de analisar o conteúdo doutrinário de Broders, tem a confirmação de que ele é um pastor “legitimamente” luterano. Isto porque o senhor August W. Gowert já fora, anteriormente, ludibriado várias vezes por alguns “pseudopastores”. O Rev. Christian J. Broders com o apoio de Gowert foi fundada ali, a primeira congregação “missouriana” no Brasil, no dia 1 de julho de 1900, com 17 famílias, denominada Comunidade Evangélica Luterana São João.



Logo pessoas de outras localidades desejavam filiação. Houve no início algumas inimizades e campanhas de oposição por parte dos “pseudopastores”, que se sentiram ameaçados. Contudo, no ano seguinte vieram outros pastores dos Estados Unidos. Tinham o cuidado de iniciar um trabalho evangélico onde lhes era dirigido um pedido direto e em localidades onde não se entrava em conflito com as igrejas da Igreja Evangélica do Sínodo Rio-Grandense.



No dia 24 de junho de 1904, foi fundada oficialmente em São Pedro do Sul, perto de Santa Maria, RS, com a presença de 14 pastores, um professor e 10 leigos, representando 10 comunidades com aproximadamente três mil membros, a Igreja Evangélica Luterana do Brasil. Inicialmente, a IELB organizou-se como “distrito” da Igreja Luterana - Sínodo de Missouri (LC-MS). Hoje ela identifica-se como igreja irmã daquele sínodo.



Perante o rápido desenvolvimento da missão, os primeiros missionários estavam convencidos da necessidade da formação teológica em terras brasileiras. Para suprir essa necessidade foi fundado o Seminário no dia 27 de outubro de 1903, na localidade de Bom Jesus, São Lourenço, RS. Hoje chama-se Seminário Concórdia, localizado em São Leopoldo, RS.



A Igreja Evangélica Luterana do Brasil está presente em todos os estados brasileiros. É uma Igreja independente administrativamente. A sua administração central encontra-se em Porto Alegre. No ano de 1988 realizou pesquisas missionárias e enviou missionários para a Bolívia e Angola. Possui dois seminários para a formação teológica de seus pastores, um em São Paulo e outro em São Leopoldo, este, ligado à Universidade Luterana do Brasil. Conta com 217 000 membros, 1 220 congregações e 738 pontos de missão e/ou pregação, agrupados em 414 paróquias. Possui 618 pastores atuando em diferentes áreas e funções. As decisões da Igreja são tomadas em convenção nacional com os seus pastores e os representantes das congregações, que é realizada a cada dois anos, e a eleição da sua nova diretoria nacional é realizada numa convenção de quatro em quatro anos.



Duas denominações luteranas destacam-se no Brasil, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) com 700 mil pessoas e a IELB com 230 mil almas. A IELB está presente em todos os estados brasileiros. O último estado atingido foi o Amapá, no início dos anos 2000. Hoje, os pastores da IELB são mais de 570 e cerca de dois mil pontos de pregação do Evangelho no Brasil.



****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

1 comentário:

josé daniel Steimetz disse...

Gostei do Relato. Bastante fiel aos fatos. Grato e abençoado trabalho.