… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 15 de maio de 2017

15 de maio de 1984 • Francis Schaeffer, o descrente que se tornou o campeão da fé debatida

15 de maio de 1984Francis Schaeffer, 
o descrente que se tornou o campeão da fé debatida


Francis Schaeffer foi um teólogo cristão evangélico norte-americano, filósofo e pastor presbiteriano.



Tornou-se famoso pelos suas obras escritas e pela criação da comunidade L’Abri (do francês, "O Abrigo"), na Suíça. Opondo-se ao modernismo teológico, à chamada neo-ortodoxia, Schaeffer defendia uma fé baseada na tradição protestante e um enfoque pressuposto na apologética cristã. Às ideias teológicas de Schaeffer é atribuído, por alguns estudiosos modernos, o despertar da ‘direita’ cristã nos Estados Unidos da América. Edit Schaeffer, esposa de Francis Schaeffer veio a tornar-se também ela uma autora conceituada por mérito próprio.



Schaeffer nasceu em 30 de janeiro de 1912, cresceu e educou-se em Germantown, Pensilvânia, nos Estados Unidos da América.



Nos anos 50 do século passado, juntamente com a sua mulher Edith, fundou uma comuna religiosa denominada L'Abri.



Na década de 70 do século passado, o seu filho Frank, convenceu-o a escrever e a publicar um livro e vários filmes que se chamavam “How Should We Then Live?” (Como nós devemos viver?).



Aos poucos, Francis Schaeffer foi ganhando notoriedade no meio evangélico mundial, tornando-se na base intelectual do meio mais conservador nos E. U. A. Por outro lado, em L'Abri dialogou dialeticamente questões sociais, religiosas e espirituais com mães solteiras, com hippies e com homossexuais. A sua filosofia de vida atraiu gente de várias tribos. Morreu de cancro, neste dia, 15 de maio de 1984.




****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: