… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 16 de outubro de 2016

16 de outubro de 1815 • Daniel P. Kidder, missionário no Brasil


16 de outubro de 1815    Daniel P. Kidder, 
missionário no Brasil

Daniel Parish Kidder foi autor do primeiro relato de um viajante norte-americano sobre o Brasil. Chegou à cidade do Rio de Janeiro, enviado pela Sociedade Bíblica norte-americana, em 1837, aos 27 anos, permanecendo até ao ano de 1840, quando a sua jovem esposa Cyntia H. Russel faleceu, deixando-lhe dois filhos.

Poucos anos depois, em 1845, publicou a sua obra “Sketches of residence and travels in Brazil embracing historical and geographical notices of the Empire and its several provinces, Vol I e II” como resultado das suas observações da educação, da moral e da religião entre os brasileiros, as quais, na qualidade de missionário cristão, lhe eram mais imprescindíveis. Também pretendia preencher a lacuna existente no que se referia à ausência de informações disponíveis sobre o Brasil.

Daniel Parish Kidder publicou ainda outras duas obras sobre o Brasil: “São Paulo in 1839” e a tradução em língua inglesa do artigo de Diogo Antônio Feijó, a “Demonstração da necessidade de abolir o celibato clerical” de 1844.

A sua obra “Sketches of Residence and Travels in Brazil”, de 1845, foi dividida em dois volumes: o primeiro descreve as regiões de São Paulo e do Rio de Janeiro, e o segundo as províncias do norte. Foi editada pela Sorin & Ball, de Filadélfia e pela Wiley & Putnan, de Londres, concomitantemente.

Esta obra foi traduzida para o português por Moacir N. Vasconcelos e editada na “Biblioteca Histórica Brasileira”, pela Livraria Martins em 1940, com o título “Reminiscências de Viagens e Permanências no Brasil, compreendendo diversas notícias históricas e geográficas do Império e das diversas províncias” (Rio de Janeiro e Província de São Paulo). Em 1943, foi editada a obra referente às províncias do norte.

Em 1980, o relato foi também editado pela Editora Itatiaia e Edusp, na Coleção Reconquista do Brasil, nova série. No ano de 2001, o Senado Federal do Brasil publicou outra edição desta obra.

“Brazil and the Brazilians: portrayed in historical and descriptive sketches”, escrito em co-autoria com James Cooley Fletcher, tornou-se um dos livros sobre o Brasil mais lidos nos Estados Unidos, contando com pelo menos nove edições publicadas pela Childs & Peterson de Filadélfia. A primeira edição é de 1857. A segunda, a terceira, a quarta e quinta edições são de 1858 a 1866, publicadas também pela Little, Brown, de Boston. A sexta, a sétima e a oitava edições são, respectivamente, de 1866 a 1868. Em 1941, a Companhia Editora Nacional, publicou este relato na Coleção Brasiliana, com tradução de Elias Dolianiti, em dois volumes.

Daniel Parish Kidder nasceu no dia de hoje, quase há cem anos, a 16 de outubro de 1815, em Darien, Genesee County, no estado de Nova York, nos Estados Unidos da América. Formou-se pela Wesleyan University, em 1836, sob os preceitos do metodismo.

Daniel Parish Kidder viveu no Brasil ao serviço da Sociedade Bíblica dos Estados Unidos em duas ocasiões, em 1837 e de 1840 a 1842, em viagens de propaganda evangélica pelas províncias do norte e do nordeste do Brasil e pela Amazónia, com o objetivo de difundir os princípios protestantes através da divulgação de Bíblias editadas na língua portuguesa. Enquanto missionário e representante da Igreja Metodista, a preocupação com o universo simbólico dos brasileiros é um dos traços mais marcantes da sua obra. Nessa perspectiva podemos compreender a sua aproximação com o padre Diogo Antônio Feijó, que também era conhecido como Regente Feijó ou Padre Feijó (São Paulo, batizado a 17 de agosto de 1784 — São Paulo, 10 de novembro de 1843), sacerdote católico e estadista brasileiro, de quem Kidder se confessa admirador, tendo traduzido sua proposta de abolição do celibato clerical para o inglês e tornado-se um divulgador de suas ideias.

Depois do seu regresso do Brasil aos Estados Unidos da América em 1840, após o falecimento da sua jovem esposa, no Rio de Janeiro, Kidder foi secretário correspondente da “Methodist Sunday School Union” e editor dos folhetos e das publicações da Escola Dominical entre os anos de 1844 e 1856, e professor de homilética no “Garrett Biblical Institute” (Instituto Bíblico Garrett), durante 15 anos e também foi professor de homilética no “Drew Theological Seminary” durante 10 anos, e ainda foi secretário do conselho de educação da sua igreja entre os anos de 1880 e 1887.


Daniel Parish Kidder escreveu diversos livros sobre questões teológicas, destacando-se como um ilustre pensador da Igreja Metodista, nos Estados Unidos. Morreu aos 76 anos, em 29 de julho de 1891, em Evanston, Illinois, nos Estados Unidos da América.


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: