… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

5 de outubro de 1703 • Biografia sucinta de Jonathan Edwards


5 de outubro de 1703 Biografia sucinta de 
Jonathan Edwards
Jonathan Edwards, o mais famoso dos teólogos e filósofos americanos, nasceu em South Windsor. Connecticut, em 5 de outubro de 1703, e morreu em Princeton, Nova Jersey, em 22 de março de 1758. O seu pai era ministro e formado pela Universidade de Harvard, e sua mãe, uma mulher de mentalidade e devoção extraordinárias. Quando criança, Edwards deu indicações certas das suas realizações futuras. Com a idade de dez anos, ele escreveu um ensaio sobre a imaterialidade da alma e aos doze escreveu o que ficou conhecido por excelente tratado sobre aranhas-voadoras. Pela época da sua formatura na Universidade de Yale, em 1720, ele já tinha imergido profundamente no poço da filosofia. Depois de breve serviço numa igreja presbiteriana em Nova Iorque e alguns anos como professor particular da Universidade de Yale, ele tornou-se ministro da Igreja Congregacional em Northampton. Massachusetts. Ali casou-se com Sarah Pierrepont (1710-1758), uma tetraneta do célebre Thomas Hooker.

Desde o início de seu ministério, Edwards enfatizou a alta visão calvinista da soberania de Deus na salvação do homem. Com a sua pregação, iniciou-se o excepcional avivamento em Northampton, espalhando-se pelas colónias da Nova Inglaterra que ficou conhecido como o Grande Avivamento. Edwards foi o líder e defensor desse famoso avivamento. Em 1749, depois de uma disputa que se levantara sobre a questão da disciplina sobre a participação dos crentes na Santa Ceia, Edwards foi deposto do púlpito e da congregação. De Northampton, ele foi para Stockbridg e ai foi pastor da igreja e missionário entre os índios. Foi ali que, em quatro meses, ele escreveu um dos “maiores” livros do mundo e a principal contribuição dos Estados Unidos para a filosofia, The Freedom of the Will (A liberdade da vontade), no qual procura refutar a doutrina do livre arbítrio. Esteve ali uns sete anos antes de ser nomeado presidente da Universidade de Princeton, mas mal tinha começado os seus trabalhos ali quando lhe sobreveio a morte por uma reação à vacina contra a varíola. Morreu em 22 de março de 1758.

O seu sermão mais conhecido é “Pecadores nas Mãos de um Deus Irado”, sobre o versículo: “Ao tempo em que resvalar o seu pé” (Dt 32:35). O sermão foi pregado em Enfield, Connecticut, como advertência e repreensão por causa do crescimento da imoralidade. Edwards pregou muitas vezes sobre a bondade e o amor de Deus; mas sempre que o seu nome é mencionado, este é o sermão que as pessoas associam a ele. Há muito no sermão que ofende a sensibilidade religiosa dos nossos dias, sobretudo a descrição de Deus segurando o pecador acima do inferno, como alguém que segura uma aranha ou inseto sobre o fogo. Ninguém poderia pregar nesses termos hoje. Mas o pêndulo oscilou muito longe para a outra direção, e a pregação de hoje, residindo exclusivamente no amor de Deus, dificilmente é de natureza a produzir arrependimento ou inteirar os homens de que Deus é de olhos muito puros para ver a iniquidade. Relatos contemporâneos da pregação daquele sermão falam da profunda impressão causada e como o pregador teve de parar diversas vezes para pedir silêncio por parte dos arrependidos, que na sua angústia choravam em voz alta. 

****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: