… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 26 de novembro de 2016

26 de novembro de 1731 • William Cowper, um santo abatido pela depressão



26 de novembro de 1731 William Cowper, um santo abatido pela depressão
William Cowper entrou em profunda depressão com medo de fazer um exame. (William Cowper retratado por Lemuel Francis Abbott)
Deus ...
... move-Se de forma misteriosa
Na realização dos Seus milagres;
Ele planta os Seus passos no mar
E vem cavalgando a tempestade.

William Cowper, que escreveu esse hino “God Moves in a Mysterious way”, nasceu em Berkhamstead, Herford, na Inglaterra, neste dia, 26 de novembro de 1731. A sua vida foi cheia de angústia pessoal. Aos cinco anos, a sua mãe morreu-lhe. Aos 10 anos, o seu pai enviou-o para um internato onde viveu uma vida horrível e cheia de desapontamentos. E, William, uma criança tímida e sensível, foi tratada com grande crueldade por um rapaz mais velho. Atualmente a tão discutida agressividade infantil, o bullying! Também muitas outras das suas experiências escolares lhe foram dolorosas. Aos dezoito anos, William começou a estudar Direito e apaixonou-se pela sua prima Theodora Cowper, mas o seu pai não aprovava o namoro. Nenhum deles jamais se casou.

Após concluir os estudos de direito ele exerceu a profissão por algum tempo. Posteriormente, foi-lhe oferecido trabalho no ministério da justiça para o qual ele teria de ser examinado. William tinha tanto medo de ter de responder a perguntas e não corresponder, que entrou num acesso de loucura.

Assim, aos 32 anos desistiu do sonho de ser magistrado em consequência de uma profunda depressão, que o levou a tentar o suicídio muitas vezes. Tentou pular no rio Tamisa, mas foi impedido; ingeriu veneno, porém, foi encontrado a tempo por alguém que o socorreu; atirou-se sobre uma faca, mas a lâmina quebrou-se com o peso do seu corpo; tentou enforcar-se, contudo um vizinho encontrou-o e cortou a corda antes que ele morresse; tomou muitos comprimidos anti-depressivos, mas foi salvo pela sua empregada doméstica. Sofrendo de depressão aguda e profunda inquietação mental, beirando-se da loucura, William Cowper voltou-se cada vez mais para Cristo.

Depois de um tempo num asilo privado, Cowper recuperou a razão. Após várias das suas tentativas de suicídio, lendo a Bíblia no jardim da sua casa, uma passagem o marcou: “Sendo justificados gratuitamente pela Sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no Seu sangue, para demonstrar a Sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus.” (Rm 3:24-25 ACF) O Espírito Santo actuou no seu coração através daquelas palavras e ali mesmo iam Cowper rendeu-se a Cristo, sendo salvo dos seus pecados. O próprio Cowper afirma: “Não sei como, mas num momento, recebi poder para crer e o sol da justiça brilhou no meu coração. Vi claramente a suficiência do sacrifício feito por Cristo; o perdão através do Seu sangue; a completa e ampla justificação.”

Cowper mudou-se para a cidade de Olney, onde John Newton, o ex-traficante de escravos, era pastor. Logo eles se tornaram amigos íntimos. Em 1771, Newton ficou preocupado com o aumentar da melancolia de Cowper. Na esperança de levantar o seu ânimo, mantendo-o ocupado, Newton sugeriu que ele e Cowper publicassem um livro de hinos. O próprio Newton escrevia hinos para ilustrar os seus sermões de domingo. “Amazing Grace” é um desses 280 hinos que ele escreveu para essa colectânea que depois de publicada ficou conhecida como o Hinário dos “Hinos Olney.” Cowper escreveu 68 dos hinos desse Hinário, como “Oh for a closer walk with God”, “God moves in a mysterious way” e “There is a fountain filled with blood.”

Os “Hinos Olney” apresentaram a poesia de Cowper pela primeira vez ao mundo. William Cowper cultivou na sua obra poética uma sensibilidade reflexiva e uma melancolia desconhecidas nas gerações anteriores. Cowper continuou a escrever poesia e tornou-se famoso. Ele é considerado um dos fundadores do movimento romântico Inglês. O seu texto “John Gilpin” é um dos favoritos das crianças de língua inglesa. Numa das suas mais comoventes poesias, “The Task”, Cowper continuou a louvar o seu Criador. Ele disse uma vez que, de todos os dons que Deus nos dá, Deus, Ele mesmo, é o maior. No entanto, como ele se aproximava da morte (não nos aproximamos nós?), o seu estado mental melancólico reafirmou-se e ele convenceu-se de que ele era uma das almas, que estavam predestinadas à condenação eterna, isto, talvez fruto da sua educação infantil. Um poema intitulado “The Castaway”, ilustra claramente estas suas apreensões.

William Cowper, poeta e compositor de hinos, inglês do século XVIII, lutou contra sucessivas crises depressivas ao longo da sua vida. Talvez seja por isso que os seus hinos ainda hoje nos tocam profundamente quando a nossa vida parece rodopiar fora de controlo e nós desejamos desesperadamente confiar em Deus.

Um dos hinos mais conhecidos de Cowper, “God moves in a mysterious way,” (Deus move-Se de forma misteriosa) contem estas palavras animadoras:

Vós, santos temerosos, tomai novo alento
As nuvens que tanto vos atemorizam
São abundantes em misericórdia
E irromperão em bênçãos sobre vossas cabeças.

Imaginamos com frequência que os cânticos triunfantes da fé cristã são escritos por pessoas que já venceram as dificuldades da vida. Mas o livro dos cânticos da Bíblia, os Salmos, recorda-nos os lamentos atribulados de David, e de todos os santos de todas as épocas: “Até quanto Te esquecerás de mim, Senhor? Para sempre? Até quando esconderás de mim o Meu rosto?” E depois da grossa borrasca, as aleluias: “na Tua salvação meu coração se alegrará. Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem.” (Sl 13:1,5-6). William Cowper compôs alguns dos seus hinos mais consoladores por causa da dor da depressão. À semelhança de David, Cowper e de tantos outros crentes, Deus pode transformar os nossos momentos mais difíceis em benefícios espirituais para nós mesmos e para os outros filhos de Deus. Em cada luta, que seja mental, física, emocional ou espiritual, o nosso desafio é passarmos do medo de sermos suplantados para a confiança que Deus já suplantou. Cowper não achou que fosse fácil, mas ele descobria nessas ocasiões, de cada vez, que Deus era maior do que ele alguma vez tinha imaginado.

William Cowper, um santo abatido pela depressão, nascido a 26 de novembro de 1731, em Berkhamstead, Herford, Inglaterra e falecido em 25 de abril de 1800, em East Dereham, Norfolk, Inglaterra, foi um poeta cristão inglês.

****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: