… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 24 de dezembro de 2016

24 de dezembro de 1818 . Ouve-se pela primeira vez o cântico de natal “Stille Nacht”, conhecido em português como “Noite Feliz”


24 de dezembro de 1818 Ouve-se pela primeira vez o cântico de natal “Stille Nacht”, conhecido em português como “Noite Feliz”
Postal do Centenário, com os dois autores, 1918

No dia 23 de dezembro de 1818, o jovem sacerdote Joseph Mohr foi chamado da sua aldeia de Oberndorf, nos Alpes da Áustria, para visitar o lar de um lenhador no meio da densa floresta, porque a sua esposa acabava de ter um bebé.



Depois de uma viagem muito cansativa, quando o sacerdote chegou ao lar do lenhador já era noite cerrada. Entrando na humilde choça, vendo a alegria no rosto da jovem mãe, inclinada sobre o berço do seu bebé, Joseph Mohr ficou feliz por ter acudido à chamada.



Era já muito tarde quando o padre Mohr regressava a sua casa a pé. Através da densa floresta, a noite cheia de estrelas, iluminava-lhe o caminho. Então, o sacerdote lembrava-se do que tinhaa presenciado. A paz daquela cena fez com que ele pensasse na manjedoura de Belém, onde havia estado outra mãe amorosa e outro precioso bebé: Maria e o Menino Jesus.



Chegado a casa, mesmo cansado, o jovem sacerdote não se foi deitar. Sentou-se no escritório e começou a escrever um poema. Seria pelas quatro horas da manhã quando terminou. E pôs-lhe como título “Stille Nacht.”



Satisfeito, foi dormir. Ainda cedo, ele levantou-se e dirigiu-se à casa do jovem Franz Gruber, mestro da escola paroquial e organista da igreja. Mohr pensava no órgão da igreja: não funcionava há alguns dias. Parece que os ratos tinham roído os foles! Mas Gruber disse-lhe para não se preocupar pois ele já havia composto o hino para ser cantado a duas vozes, com acompanhamento de outro instrumento musical.



Naquela noite deste dia 24 de dezembro de 1818, na Véspera de Natal, após a celebração da Missa do Galo na igreja de São Nicolau, Franz Gruber, baixo, e o sacerdote Mohr, tenor, cantaram o hino juntos.



Ao ouvi-los, as pessoas emocionaram-se. Vários meses mais tarde, o homem que estava consertando o órgão pediu a Gruber que o testasse para ver se estava bom. Ele tocou a música do hino “ Stille Nacht.” O homem gravou o hino na sua mente e logo o tocou de ouvido na sua própria aldeia.



Quatro crianças de sobrenome Strasser (dois irmãos e duas irmãs), que viviam na mesma aldeia, ouviram o hino, aprenderam-no e começaram a cantá-lo. O seu pai, um fabricante de luvas, ia todos os anos à cidade de Leipzig para vender a sua mercadoria, e eles iam com ele, cantando canções de Natal. Uma vez, o diretor de música do principado da Saxónia ouviu-os cantar “Stille Nacht.” Gostou tanto que, no ano seguinte, os convenceu a que cantassem num dos seus concertos, a que assistiam muitas celebridades e pessoas da realeza. Esses senhores e senhoras também gostaram do hino. Como o seu título original se havia perdido, ficou conhecido como “A canção tirolesa.”



Por volta de 1850, o Coro Imperial da Igreja de Berlim cantou-a especialmente para o rei Frederico Guilherme IV, que deu ordens para buscarem os compositores, pois queria felicitá-los. O sacerdote Mohr havia morrido em 1848, mas Franz Gruber, que ainda vivia, pôde receber pessoalmente os elogios do rei.



Nem Gruber nem Mohr fizeram nenhuma outra composição na sua vida, mas essa canção de Natal, pela sua beleza e harmonia musicais, bem como pelo seu expressivo poema, transformou-se no mais famoso hino de Natal do mundo.



“Stille Nacht” é uma das canções mais populares da noite de Natal, conhecida em português como “Noite Feliz.” Foi escrita pelo padre Joseph Mohr e musicada por Franz Gruber em 1818, na cidade de Oberndorf, Áustria, tendo sido executada pela primeira vez na Missa do Galo desse ano na paróquia São Nicolau. Tem versões em, pelo menos, 45 línguas.



“Stille Nacht”, em alemão, na verdade significa “Noite silenciosa.” O nome foi mantido na versão inglesa como “Silent Night”, mas em outros idiomas foi adaptado, como no francês “Douce Nuit” e no português “Noite Feliz.” A canção já foi traduzida para mais de 45 línguas.



Eis uma versão em português de “Stille Nacht”:



Noite feliz! Noite feliz!

O Senhor, Deus de amor!

Pobrezinho nasceu em Belém;

Eis, na lapa, Jesus, nosso bem:

Dorme em paz, ó Jesus!

Dorme em paz, ó Jesus!



Noite feliz! Noite feliz!

Ó Jesus, Deus da luz!

Quão afável é teu coração

Que quiseste nascer nosso irmão

E a nós todos salvar!

E a nós todos salvar!



Noite feliz! Noite feliz!

Eis que, no ar, vêm cantar,

Aos pastores, os anjos do Céu,

Anunciando a chegada de Deus,

De Jesus Salvador!

De Jesus Salvador!

****

Fontes Utilizadas:

Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.

Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: