… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 17 de dezembro de 2016

17 de dezembro de 1912 • Bill Borden embarca num navio para a China, via Egito



17 de dezembro de 1912 Bill Borden


embarca num navio para a China, via Egito
William Whiting Borden (1 de novembro de 1887 - 9 de abril de 1913) cresceu numa família rica de Chicago que foi a herdeira dos famosos laticínios Borden. Bill era um lindo menino, maduro para a sua idade. Quando ele tinha seis anos, a sua mãe levou-o a ele e a vários dos seus primos a escreverem numa folha de papel o que eles queriam ser quando crescessem. Depois eles colocaram as suas respostas em envelopes lacrados. Dez anos mais tarde os envelopes foram abertos e a folha de Bill dizia: “Eu quando crescer quero ser um homem honesto, um homem fiel, verdadeiro e gentil.”


Quando Bill tinha sete anos, a sua mãe teve uma experiência real de conversão que lhe mudou a sua vida dramaticamente e que a afetou profundamente. Ela tornou-se uma cristã gozosa e comprometida. Depois a família mudou-se para a Moody Memorial Church, em Chicago, e Bill prosperou espiritualmente sob o ministério do Pastor Reuben A. Torrey. Durante um culto, quando Bill ainda era muito jovem, o Dr. Torrey pediu a todos os que desejavam dedicar as suas vidas ao serviço cristão que se pusessem de pé para que a Assembleia orasse por eles. O menino que trazia vestido um fatinho de marinheiro azul, levantou-se, e a partir desse momento nunca mais vacilou na sua dedicação ao serviço a Cristo.



Quando ele tinha dezassete anos, já estava focado em missões mundiais. Após acabar o ensino secundário iniciou uma viagem ao redor do mundo. Assim, enquanto viajava por várias partes da Europa Oriental e do Médio Oriente, viu em primeira mão as necessidades espirituais das pessoas nesses países. O seu coração estava especialmente aberto para trabalhar entre o povo chinês, e voltou para casa decidido a levar a boa notícia do Salvador para o povo da China.



Depois do regresso da sua viagem ele entrou na Yale University, onde se envolveu no Movimento de Estudantes Voluntários. Numa das suas convenções, foi colocado sob a orientação do Dr. Samuel Zwemer, que estava muito interessado em alcançar os muçulmanos para Cristo. Bill tinha-se inteirado que existiam quinze milhões de muçulmanos no noroeste da China, mas que até aí nem um único missionário tinha sido enviado para lá para tentar alcançá-los. Ele ficou atónito de que houvesse mais muçulmanos na China do que no Egito, na Pérsia, e na Península da Arábia, e que ninguém estava compartilhando o Evangelho com eles. Naquela noite, Bill prometeu dedicar a sua vida a fim de alcançar os muçulmanos chineses. A partir daí nunca mais vacilou ou mudou a respeito da prossecução apaixonada desse objetivo.



Depois de se licenciar pela Universidade de Yale, foi para o Princeton Seminary. Por essa altura Bill Borden estava extremamente ocupado com os seus estudos rigorosos, ministérios voluntários e com a administração dos interesses financeiros da sua família. Ele também tinha muitas responsabilidades fora do Princeton Seminary. Havia também pouco tempo que ele tinha sido nomeado curador do Moody Bible Institute, em Chicago, e era membro da CIM (Conselho Americano da Missão Interior da China), e delegado da Conferência Missionária de Edimburgo para a CIM, e diretor do Instituto Nacional da Bíblia da Cidade de Nova York, e ainda membro da Missão americana Nilo. Bill Borden era verdadeiramente um jovens espiritual maduro, muito para além da sua idade!



Dando vazão ao seu único objecto de vida, a pregação o Evangelho entre os muçulmanos chineses. Bill Borden entrou para a China Inland Mission, e, neste dia, 17 de dezembro de 1912, embarcou num barco para o Cairo a fim de estudar árabe antes de ir como missionário para a China. Ele tinha o seu coração fixado em Kensu, para onde iria evangelizar o povo da China. Finalmente, já em 1913 aporta na cidade do Cairo, capital do Egito. Imediatamente se dedicou a estudar a língua (o árabe) e prestar serviços à comunidade. Bill rapidamente ganhou o amor de muitos egípcios.



Infelizmente, apenas um mês depois de chegar ao Cairo, contraiu meningite cerebral e ficou muito doente. Sofreu muito durante algumas semanas, e acabou por partir para eternidade no dia 9 de abril de 1913, apenas com a idade de 25 anos.



Bill Borden nunca chegou à China. Deixou a sua fortuna de quase um milhão de dólares para várias missões e agências estrangeiras cristãs. Após a sua morte, os seus amigos encontraram um papel debaixo do seu travesseiro em que Bill havia rabiscados as palavras: “Sem Reservas! Sem arrependimento! Sem regresso”



A morte do jovem Bill Borden foi publicada por muitos jornais em todo o mundo como sendo ele uma testemunha fiel de Cristo. Muitos serviços por sua memória foram realizadas em muitos lugares: Princeton, Yale, New York, Chicago, Cairo, Japão, Coreia, Índia e África do Sul. Se bem que o legado financeiro de Bill Borden foi substancial, o seu legado espiritual de total dedicação e sacrifício por Cristo foi aquele que teve um efeito mais duradouro em todo o mundo. A publicitação da história de Bill Borden levou muitos jovens a entrarem no serviço missionário.



De acordo com as normas da nossa sociedade atual, muitas pessoas vêem a vida de Bill Borden, e, finalmente, a sua morte trágica como um “desperdício.” E você, caríssimo amigo leitor, como a vê?



“E andou... com Deus; e não se viu mais, porquanto Deus para si o tomou.” (Gn 5:24, ARC, Pt)




****

Fontes Utilizadas:

Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.

Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: