… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

27 de janeiro de 1810 • Andrew Miller: “Não há nada que conte senão Cristo somente!”



27 de janeiro de 1810  Andrew Miller:



“Não há nada que conte senão Cristo somente!”

Andrew Miller era natural de Kilmaurs, Ayrshire, na Escócia, onde nasceu, neste dia de 27 de janeiro de 1810. Ainda jovem, ele foi trabalhar para a empresa Smith, Anderson & Co. em Glasgow, cuja filial em Londres ele veio a gerenciar. Mais tarde, essa empresa trocou de nome para Miller, Son & Torrance. O seu filho, Thomas B. Miller, igualmente um servo do Senhor, seguiu-o na liderança dessa empresa.



Ainda durante o seu tempo na direção desta sua empresa, ele veio a ser durante muito tempo pregador numa comunidade batista escocesa em Londres. Foi ele quem permitiu a construção da capela. Quando estava em Londres, pregava nessa “sua” capela, porém, durante metade do seu tempo estava ocupado em ajudar em ações evangelísticas em várias regiões do país.



Conforme um relato do próprio Andrew Miller, nessa época ele foi convidado por um cristão para assistir a uma reunião de estudo bíblico, que acontecia semanalmente na casa desse irmão. Ele aceitou o convite, mas, por esse tipo de reunião ser completamente desconhecido por ele, foi vestido de smoking. Descobriu, então, assustando que foi ele o único visitante vestido dessa forma! Inicialmente, todos foram até à sala de jantar, e em seguida aconteceu o estudo da Palavra na sala de estar. Depois da oração, leu-se, com toda a reverência, uma passagem das Sagradas Escrituras e seguiu uma conversa bastante cativante, em cujo decorrer se explicava as verdades da Bíblia.



Andrew Miller descobriu, que todas essas verdades ainda lhe eram completamente desconhecidas; esqueceu a sua vestimenta fora do normal e decidiu visitar também o próximo estudo, caso o anfitrião o convidasse outra vez. Assim aconteceu, e enquanto frequentava semana após semana esses estudos, onde aprendeu mais e mais da maravilhosa verdade de Deus, dos Seus desígnios e dos Seus amor e graça na redenção.



Assim chegou ao ponto em que certo domingo nos anos 1852 ou 1853 declarou à sua comunidade, que não podia mais continuar a ser o pregador deles. A partir da semana seguinte, ele queria reunir-se exclusivamente com aqueles que reconheciam e desejavam praticar os princípios bíblicos com respeito a reunir-se no Nome do Senhor Jesus. A maior parte da sua comunidade voltou no próximo domingo, para se reunir, desde então em separação do mal na base da unidade do Corpo de Cristo. A partir dessa época, Andrew Miller começou a ocupar um lugar cada vez mais estimado com os Irmãos, entre os quais agora era um.



Ele era um evangelista com um coração cheio de amor pelos perdidos e para muitas almas idosas e jovens tornou-se a ferramenta da conversão delas. Raras vezes anunciou o Evangelho sem que lágrimas corressem pelo seu rosto, enquanto falava do amor do Senhor Jesus, tentando despertar as consciências dos seus ouvintes. Para ele foi bastante desgostoso ver quão pouco interesse havia pelo Evangelho nas igrejas locais que visitava!



Por outro lado, Andrew Miller, era um orador altamente dotado, pelo que conseguia prender os seus ouvintes crentes de tal forma, que eram capazes de ouvir as suas pregações por um espaço de tempo extremamente prolongado sem que se cansassem. Por isso ele foi chamado por muitos de “o pregador mais dotado entre os Irmãos mais antigos.”



Andrew Miller era amigo de C. H. Mackintosh (outubro de 1820- e 2 de novembro de 1896) e em conjunto com esse irmão publicou, a partir do ano 1858, durante muitos anos a revista mensal “Things New and Old” (“Coisas Novas e Velhas”). Nessas revistas, que serviam de bênção para muitos, a verdade para os crentes foi explicada e exposta de maneira simples e clara, e ao mesmo tempo também de maneira minuciosa e carinhosa. Foi também Andrew Miller que encorajou C. H. Mackintosh a escrever as suas “Notas sobre o Pentateuco” (editado em português pela editora, “DLC — Depósito de Literatura Cristã”, www.literaturacrista.com.br). Ele mesmo escreveu um prefácio para essa obra e financiou em grande parte a sua impressão.



A mais conhecida obra de Andrew Miller é provavelmente a “História da Igreja”, que já foi traduzida para o alemão em 1888 e cuja tradução para a língua portuguesa está em andamento por meio da editora “DLC — Depósito de Literatura Cristã.” Igualmente escreveu uma breve panorâmica sobre a origem, e desenvolvimento e o testemunho dos cristãos geralmente denominados de “Irmãos” (editado em português pela editora “DLC — Depósito de Literatura Cristã” em 2005). Também são conhecidos os seus estudos sobre o Cântico dos Cânticos e sobre os salmos 23 e 84.



Andrew Miller também era amigo de John Nelson Darby (18 de novembro de 1800 – 29 de abril de 1882). Quando Darby estava já no seu leito de morte, Andrew Miller estava seriamente doente e encontrava-se em Bournemouth. Mesmo assim, diariamente, John Nelson Darby informava-se do bem-estar de Andrew Miller. John Nelson Darby morreu no dia 29 de abril de 1882 e aproximadamente um ano mais tarde, no dia 8 de maio de 1883, também Andrew Miller entrou no Lar, para estar com o seu Senhor. Havia trabalhado muito para Ele, e, antes do seu fim, ainda sofreu muito. Quando, no final da sua vida, olhou para o passado, contemplou o presente e viu o futuro diante de si, exclamou, com bastante ênfase, da profundeza da sua alma: “Não há nada que conte senão Cristo somente!”




****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: