… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

15 de fevereiro de 1905 • Lew Wallace, um ateu

15 de fevereiro de 1905 Lew Wallace, 
um ateu

Lewis “Lew” Wallace  morreu neste dia, 15 de fevereiro de 1905, em Crawfordsville, Indiana, nos Estados Unidos da América. Miliar de carreira, participou ativamente na Guerra de Anexação do Texas e na Guerra de Secessão, com as forças da União, atingindo o posto de general. Estudou também direito e foi governador do Território do Novo México e ministro encarregado de negócios norte-americanos na Turquia. Um homem conhecer dos sofrimentos e das misérias do mundo. Ainda que casado com uma cristã, mantinha o seu coração fechado ao Senhorio de Cristo.



Lewis Wallace era conhecido de toda a gente por ser precisamente um homem ateu. Quando deixou de ser governador do Território do Novo México, viajava no regresso para sua casa de comboio, com um grande amigo seu, Robert C. Ingersoll, comentando os dois, acerca da grande quantidade de torres de igrejas que havia na cidade de St. Louis, capital do Missouri, acrescentando que não podiam entender como tanta gente culta acreditava nas Escrituras. Naquele momento, Robert C. Ingersoll sugeriu-lhe que escrevesse um livro provando ao mundo que Jesus Cristo nunca existiu e que muito menos, Deus tinha inspirado os autores dos Evangelhos ou dos outros livros do Novo Testamento. Tal livro por certo o tornaria célebre e derrubaria o "mito" de que Jesus é o Salvador do mundo. Concordando com o amigo, quando Lewis chegou a casa revelou o plano à sua esposa. Wallace passou anos a pesquisar o assunto, para grande tristeza da sua mulher, Susan Arnold Elston Wallace, com quem casara no ano de 1852. Lewis reuniu informações e pesquisou a vida de Jesus em pormenor, em diversas bibliotecas dos Estados Unidos. Depois começou a escrever. Quando tinha terminado quase quatro capítulos, percebeu que os registos a respeito de Cristo eram verdadeiros. Então caiu de joelhos em arrependimento e confiou em Cristo como seu Senhor e Salvador. Encontrava-se numa situação bem difícil! Disse ele: "Comecei a escrever um livro para provar que Jesus Cristo nunca tinha existido quando me dei conta que estava provando que Ele de fato existiu. Tal convicção tornou-se em mim uma certeza absoluta. Ao estudar o Seu caráter, não tive mais dúvidas de ser Ele o Filho de Deus, e assim abri-Lhe totalmente o meu coração." Depois escreveu o livro Ben Hur, apresentando Cristo como o divino Filho de Deus.



O livro, “Ben-Hur: A Tale of the Christ”, é uma apologia do Cristianismo, foi escrito em 1880 pelo nosso biografado de hoje, Lewis Wallace, e tem sido levado ao cinema em filmes de grande sucesso.


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: