… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 26 de março de 2017

26 de março de 1886 • John Baillie, um dos grandes eruditos da Igreja da Escócia


26 de março de 1886John Baillie, 


um dos grandes eruditos da Igreja da Escócia


John Baillie foi um teólogo, escritor e ministro escocês. Nasceu neste dia, 26 de março de 1886, numa casa pastoral da Igreja Independente, em Gairloch, na Escócia. Estudou na Escócia e na Alemanha, e foi professor das cadeiras de teologia no Se-minário Teológico de Auburn (1920) e no Seminário Teológico "Union" (1930) em Nova Iorque, e no "Emmanuel College", em Toronto (1927), antes de se tornar catedrático em teologia (1934) e presidente (1950) do "New College", em Edimburgo. Baillie foi um dos grandes eruditos da Igreja da Escócia do século passado, e dizia-se, quanto aos seus conceitos teológicos, que ele combinava o antigo liberalismo e o bartianismo com uma forte tendência mística. Apoiava calorosamente o movimento ecuménico e foi um dos presidentes do Conselho Mundial de lgrejas. John Baillie demonstrou o seu dom de bom gestor nas primeiras assembleias do Conselho Mundial de lgrejas, quer na realizada em Amsterdão (1948) quer na de Evanston (1954). Recomendou, sem sucesso, um plano feito em 1957 para a união entre as igrejas nacionais da Escócia e da Inglaterra. Entre os seus muitos livros estão “Our Knowledge of God” ("O nosso Conhecimento de Deus", 1939) e “Belief in Progress” ("Fé no Progresso", 1950), mas ele é melhor lembrado por duas obras pequenas, menos técnicas: “A Diary of Private Prayer“ ("Um Diário de Orações em Particular" - 1936) e “Invitation to Pilgrimage” ("Convite à Peregrinação", 1942). Da primeira destas obras foi dito que, nela, "ele estabeleceu uma corrente de oração através do mundo inteiro". John Baillie faleceria em Edimburgo, na Escócia, em 29 de setembro de 1960.



****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: