… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 5 de abril de 2017

5 de abril de 1796 • De repente, Hauge achou a fé viva que buscava!



5 de abril de 1796De repente, Hauge 


achou a fé viva que buscava!

Às vezes não sentes que a tua vida Cristã tem de ser mais abundante? Quando Hans Nielsen Hauge estava quase nos vinte e cinco anos de idade, sentiu o mesmo. O jovem carpinteiro fez muitas leituras religiosas. Ele tinha muito medo do Inferno e queria ser estabelecido “na pedra espiritual, Jesus Cristo.” Para isso até se pôs de joelhos em oração, nos campos do seu pai, intercedendo para que isso lhe fosse concedido.



De repente, neste dia, 5 de abril de 1796, enquanto cantava “Jesus, eu anseio pela Tua bem-aventurada comunhão” Hans Nielsen Hauge foi cheio com a divina alegria. “... A minha mente tornou-se tão exaltada, eu não estava bem ciente de mim mesmo, nem posso expressar o que aconteceu na minha alma. Estava longe de mim. Assim que recuperei os meus sentidos, fiquei cheio de remorso por que eu não presenteei este estado transcendentalmente amoroso ao bom Deus. Depois disto, parecia-me a mim que agora nada neste mundo era merecedor de qualquer consideração. Que a minha alma possua algo sobrenatural, divino, e santificado; isso era uma glória que nenhuma língua podia proferir totalmente...” Deste modo, ele não só sabia, com certeza, que tinha sido salvo da danação eterna, mas, que também, ele sentia que uma “fé viva” surgia nele.



Arrebatado, Hauge perguntou ao Senhor o que é que Ele queria que ele fizesse. A resposta que veio para o seu espírito foi, “Tu deves confessar o Meu nome diante das pessoas; deves exortá-las para se arrependam e para Me busquem enquanto Eu posso ser achado e que clamem por Mim enquanto Eu estou próximo; e toca os seus corações para que eles possam sair da escuridão para a luz.” Hauge foi obediente.



Ele deixou a casa dos seus pais para espalhar o Evangelho pela Noruega. Esta tarefa tornava-se mais dura pelo facto de que a igreja estabelecida tinha medo de entusiastas e proibia todos os serviços religiosos (pelo Conventicle Act) exceto aqueles que eram realizados sob a supervisão de clérigos regularmente instituídos. Consequentemente, Hauge passou muito tempo na prisão. Algumas das suas prisões duraram vários meses. Mas, se bem que os homens procurassem contrariá-lo, Deus apoiou tanto a pregação de Hauge com o poder do Espírito Santo que a renovação espiritual seguia-se onde quer que ele fosse. Muitas vezes isto era acompanhado pela renovação económica, porque Hans era talentoso com muitas habilidades e forte em negócios sensacionais e ajudava os camponeses da Noruega a desenvolverem indústrias.



Finalmente, ele conseguiu a ajuda de vários bispos. Não obstante, ele foi de novo preso de 1804 a 1814, ainda que todas as acusações contra ele falhassem. Os seus inimigos (entre eles certos bispos irreligiosos) pediam a sua morte.



Ele viajou mais de 10 000 milhas na Noruega espalhando o Evangelho e é considerado como o fundador do pietismo norueguês. Os noruegueses que imigram para os Estados Unidos trouxeram os ensinamentos de Hauge com eles, influenciando o luteranismo no Novo Mundo. Um grupo também velejou para o Natal, na África do Sul, onde se radicou, levando as ideias do pietismo norueguês para lá.



A primeira a esposa de Hauge e três dos seus filhos pequenos morreram antes dele. Extenuado, sangrando dos pulmões, com a saúde perdida, ele próprio morreu em 29 de março de 1824, aos 53 anos de idade, pois tinha nascido em 3 de abril de 1771. As suas últimas palavras, ditas com o rosto brilhando como a luz, foram, “Oh eterno, amado Deus!



****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: