… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 9 de abril de 2017

9 de abril de 1906 • O Espírito Santo desce sobre Seymour e alguns dos seus ouvintes



9 de abril de 1906 O Espírito Santo desce sobre Seymour 

e alguns dos seus ouvintes
Seria o Espírito Santo? Seriam emoções à solta? Um incidente que teve lugar neste dia, 9 de abril de 1906, aumentou o fluxo do Pentecostalismo e ajudou a tornar este projeto como aquele que teve o crescimento mais rápido do mundo cristão. No centro desse incidente estava um homem de apenas 36 anos de idade. Era William Joseph Seymour. Havia nascido em Centerville, no estado norte-americano da Louisiana a 2 de maio de 1870. Pastor evangélico norte-americano, foi o iniciador do movimento religioso denominado Pentecostalismo.

Filho de ex-escravos Católicos, William Joseph Seymour converteu-se na Igreja Batista durante sua adolescência. Em 1895, com 25 anos, mudou-se para Indianápolis onde, inicialmente, exercia a função de criado, e, posteriormente, de representante comercial. Em Indianápolis frequentava a Igreja Metodista Episcopal, uma denominação cujos crentes eram predominantemente de cor negra.

Em 1905, Seymour mudou-se para Houston, onde passou a frequentar a recém-formada escola bíblica de Charles Fox Parham (4 de junho de 1873 — 29 de janeiro de 1929) numa cadeira colocada no corredor, por ser negro. Foi aí que aprendeu as doutrinas do movimento Holiness e desenvolveu a crença da glossolalia (mais conhecido como “dom de línguas”) como prova do batismo com o Espírito Santo.

Despois disto, Seymour mudou-se para Los Angeles, onde passou a exercer o pastorado numa igreja desta metrópole nascente. No entanto, não foi bem aceite quando começou a pregar a mensagem do reavivamento e do batismo no Espírito Santo, e foi expulso da paróquia.

Na procura de um lugar para continuar o seu trabalho, ele fundou a sua própria igreja num templo abandonado da Igreja Metodista Africana em Los Angeles, localizada na Azusa Street (Rua Azusa) n.º 312. O resultado disto foi o Reavivamento da Rua Azusa.

Seymour não só derrubou a existência de barreiras raciais em favor da “unidade em Cristo”, como também rejeitou as barreiras colocadas às mulheres, em qualquer forma de liderança, na assembleia cristã.

Neste dia, 9 de abril de 1906, segundo alguns relatos, Seymour e alguns dos seus ouvintes falaram em “línguas”.

O reavivamento liderado por Willian Seymour tornou-se notícia rapidamente, e em 18 de abril de 1906, o jornal “Los Angeles Times” publicou uma extensa reportagem sobre o movimento, denunciando esta nova “seita”, escrevendo que fundamentalistas compostos na sua maior parte por negros e imigrantes pobres dizendo-se movidos pelo Espírito Santo de Deus manifestavam-se em “línguas estranhas”, fenómeno este denominado glossolalia, e também na operação de “curas e de milagres”.

Esse processo de renovação decorreu de 1906 a 1909, e tornou-se objeto de investigação por muitos Protestantes daquela época. Alguns diziam que as visões de Seymour eram heréticas, outros aceitaram os seus ensinamentos e regressaram às suas congregações de origem para repassá-las. O movimento resultante tornou-se conhecido como “Pentecostalismo”, uma referência à manifestação do batismo com o Espírito Santo que ocorreu de facto na História no dia de Pentecostes, como diz o Livro de Lucas, no segundo capítulo, dos Atos dos Apóstolos.

Los Angeles foi o berço do pentecostalismo norte-americano, e deu origem, em todo o mundo, à maior parte das denominações pentecostais hoje existentes.


****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: