… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

12 de janeiro



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
12 de janeiro

“Pois o SENHOR não rejeitará para sempre.” (Lm 3:31, ARC, Pt)

Ele poderá rejeitar-nos por um tempo, mas não para sempre. Uma mulher poderá deixar de usar os seus adornos durante poucos dias, mas não os esquecerá, nem os lançará sobre a pilha de estrume. Não é próprio do SENHOR rejeitar aqueles a quem Ele ama, porquanto “como tinha amado os Seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim.” Alguns falam de estar na graça ou fora da graça, como se fôssemos coelhos que entram e saem das suas luras; porém, de facto, não é assim. O amor do SENHOR é um assunto muito mais sério e permanente do que isto.

Ele escolheu-nos desde a eternidade, e amar-nos-á durante toda a eternidade. Ele amou-nos de tal maneira para morrer por nós, e por esse motivo, podemos estar seguros de que o Seu amor jamais se extinguirá. A Sua honra está de tal modo envolvida na salvação do crente, que Lhe seria absolutamente impossível rejeitá-lo como rejeitar as Suas próprias vestes do Seu ofício como Rei da Glória. Não, não! O SENHOR Jesus, como Cabeça, nunca rejeita os Seus membros; como Esposo, nunca despreza a Sua noiva. Pensavas que eras rejeitado? Por que pensaste tão mal do SENHOR que te tem desposado? Rejeita tais pensamentos, e jamais permitas que se alojem outra vez no teu coração. “Deus não rejeitou o Seu povo, que antes conheceu.” (Rm 11:2, ACR, Pt) “Ele aborrece o repúdio.” (Ml 2: 16)


 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: