… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 15 de janeiro de 2017

15 de janeiro


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé

15 de janeiro

“Porque o necessitado não será esquecido para sempre, nem a expectação dos pobres perecerá perpetuamente.” (Sl 9:18, ARC, Pt)

A pobreza é uma herança difícil; todavia os que confiam no SENHOR tornar-se-ão ricos na fé. Eles sabem que Deus não os esquece; e, embora, pareça que são ignorados na Sua providencial distribuição das coisas boas, esperam o tempo quando tudo isto será retificado Lázaro não estará sempre deitado entre os cães, à porta do rico, mas será recompensado no seio de Abraão. Agora mesmo, o SENHOR recorda-Se dos Seus filhos pobres, porém de grande estimação, “Mas eu sou pobre e necessitado; contudo o SENHOR cuida de mim” disse alguém outrora, e assim é. Os pobres piedosos têm grandes esperanças. Eles esperam que o SENHOR os proveja de todas as coisas necessárias para esta vida e para a espiritual; eles esperam que todas as coisas contribuam para o seu bem; esperam ter uma comunhão muito mais íntima com o seu SENHOR, que não tinha onde reclinar a cabeça; eles esperam o Seu Segundo Advento, e compartilhar da Sua glória. Esta expectação não pode perecer, porquanto está colocada em Cristo Jesus, que vive para sempre; e porque Ele vive, ela também viverá. O santo pobre entoa muitos cânticos que o pecador rico não compreende. Por isso, quando aqui estamos com alimentação deficiente, pensemos na mesa real lá em cima.





 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: