… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

18 de janeiro


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
18 de janeiro
“Explicava-lhes o que dEle se achava em todas as Escrituras.” (Lc 24:27, ARC, Pt)

OS dois discípulos que foram a Emaús tiveram uma viagem proveitosa. O Seu Companheiro e Mestre era o melhor dos preceptores, o melhor intérprete entre mil, em Quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. O Senhor Jesus dignou fazer-Se um pregador do Evangelho e não Se envergonhou de exercer a sua vocação ante um auditório de duas pessoas, nem Se recusa agora ser o Mestre até de uma sozinha. Procuremos a companhia de tão excelente Instrutor, pois até que Ele não seja feito para nós sabedoria, nunca seremos sábios para a salvação.



Este preceptor sem rival usou como livro de texto o melhor dos livros. Ainda que capacitado para nos revelar novas verdades, preferiu expor a antiga. Ele conhecia pela Sua omnisciência qual era a norma de ensino mais instrutiva, e, ao voltar-se imediatamente para Moisés e para os profetas, Ele mostrou-nos que o caminho mais seguro para a sabedoria não é a especulação, o raciocínio ou a leitura de livros humanos, mas a meditação da Palavra de Deus. O modo mais efectivo de ser rico em conhecimento celestial é cavar nesta mina de diamantes e recolher pérolas neste mar celestial. Quando o próprio Jesus procurava enriquecer outros, recorria à pedreira das Sagradas Escrituras.



Estas duas pessoas favorecidas foram levadas a considerar o melhor dos temas, porquanto Jesus falou de Jesus e expôs as coisas concernentes a Si mesmo. Aqui o diamante esculpe o diamante, e o que poderia ser mais admirável? O Dono da Casa abre as Suas próprias portas, conduz os convidados à Sua mesa e coloca nelas as Suas iguarias apetitosas. O que ocultou o tesouro no campo, Ele mesmo guiou os que o buscavam. Nosso Senhor teria dissertado, naturalmente, sobre os tópicos mais agradáveis e Ele não teria achado nenhum mais belo do que a Sua própria pessoa e obra. Tendo isto em vista, devíamos esquadrinhar sempre a Palavra de Deus. Deus nos conceda a graça de estudarmos a Bíblia, tendo Jesus como nosso Mestre e como nossa lição!



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: