… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

19 de janeiro de 1563 • É editado o “Catecismo de Heidelberg”

19 de janeiro de 1563 É editado o “Catecismo de Heidelberg”
Vista da cidade de Heidelberg, onde o Catecismo foi editado

Se o seu trabalho lhe exigir que multiplique números como 6x7 ou 8x9, economizará muito tempo memorizando a tabuada. Ou se trabalha com temperaturas, seria útil saber a fórmula para converter graus Celsius em Fahrenheit. Ou seja, algumas coisas devem ser memorizadas porque são realmente úteis. O mesmo acontece com o catecismo.



Um catecismo define as crenças fundamentais de uma denominação religiosa. É geralmente organizado sob a forma de perguntas e respostas para que possa ser facilmente decorado. Um catecismo poderá perguntar, por exemplo: "O que é a verdadeira fé?" e responder, “ A verdadeira fé é o conhecimento e a certeza de que é verdade tudo o que Deus nos revelou na Sua Palavra (1). É também a plena confiança (2) de que Deus concedeu, por pura graça, não só a outros, mas também a mim, a remissão dos pecados, a justiça eterna e a salvação (3), somente pelos méritos de Cristo (4). O Espírito Santo (5) opera esta fé no meu coração, por meio do Evangelho (6).”



Se aquilo em que crê é importante para si, um catecismo, então, pode ser-lhe tão útil como uma tabuada e também muito reconfortante espiritualmente.



Uma dos melhores catecismos conhecidos de todos os tempos é o “Catecismo de Heidelberg”. Tem o nome duma cidade alemã, onde foi preparado pelos teólogos da Universidade de Heidelberg, a pedido do eleitor Frederico III, um amigo da Reforma Protestante. Frederico esperava que o novo catecismo trouxesse a harmonia entre os Protestantes nos seus territórios e reforça-se o domínio da fé reformada nas suas províncias. Ele próprio escreveu o prefácio do Catecismo, que foi publicado no dia de hoje, 19 de Janeiro de 1563. O “Catecismo de Heidelberg” é usado pela Igreja Reformada. Centenas de milhares de pessoas têm memorizado e vivido os seus ensinamentos, ao longo dos anos desde então.



O Catecismo apresenta 129 perguntas com as suas respostas, apoiadas por mais de setecentas referências bíblicas. Os autores disseram que queriam que ele fosse um eco da Bíblia. Frederico destacou que as referências foram selecionadas "com grande rigor" para dar a maior autoridade possível às suas afirmações. Uma coisa muito agradável sobre o Catecismo é que ele é muito pessoal, porquanto utiliza as palavras "eu", "me" e "meu" nas suas respostas. Por exemplo, ouçamos a Pergunta 56: «O que crês sobre "a remissão dos pecados"?» e a sua Resposta “ Creio que Deus, por causa da satisfação em Cristo, jamais quer lembrar-Se dos meus pecados (7) e da minha natureza pecaminosa (8), que devo combater durante toda a minha vida. Porém, Ele dá-me a justiça de Cristo (9), pela graça, e assim nunca mais serei condenado por Deus (10).”



Outros catecismos foram escritos antes do “Catecismo de Heidelberg”. Mas este, o “Catecismo de Heidelberg” foi elaborado por Zecharias Ursinus, de vinte e oito anos idade, professor de teologia, com as ideias teológicas de João Calvino e de Martinho Lutero. O pregador da corte de Frederico, de vinte e seis anos de idade, Caspar Olevianus, também esteve envolvido na sua composição final e na edição deste trabalho, que os teólogos da Heidelberg aprovaram.



Mais tarde, alguém dividiu o “Catecismo de Heidelberg” em cinquenta e duas partes, uma para cada semana do ano, de modo que pudessem ser facilmente estudadas pela igreja. Os pastores deveriam pregar um sermão sobre as questões adequadas, em cada tarde de domingo.



Logo depois que ele foi escrito, o “Catecismo de Heidelberg” foi traduzido para o holandês. Os holandeses cordialmente endossaram-no a quatro sínodos diferentes. A Igreja Reformada Holandesa é um dos mais fortes ramos da Igreja Reformada.



A influência do “Catecismo de Heidelberg” não terminou com os holandeses. Em 5 de novembro de 1647, quando a Assembleia de Teólogos de Westminster apresentou o seu “Catecismo Menor” para a para aprovação na “House of Commons” ele havia baseado no famoso texto do “Catecismo de Heidelberg”.



Notas:

(1) Rm 4:20, 21; Hb 11:1, 3; Tg 1:6.

(2) Sl 9:10; Rm 4:16-21; Rm 5:1; Rm 10:10; Ef 3:12; Hb 4:16.

(3) Hc 2:4; At 10:43; Rm 1:17; Gl 3:11; Hb 10:10-38.

(4) Lc 1:77,  78; Jo 20:31; At 10:43; Rm 3:24; Rm 5:19; Gl 2:16.

(5) Mt 16:17; Jo 3:5; Jo 6:29; At 16:14; 2Co 4:13; Ef 2:8; Fp 1:29.

(6) Mc 16:15; At 10:44; At 16:14; Rm 1:16; Rm 10:17; 1Co 1:21.

(7) Sl 103:3, 10, 12; Jr 31:34; Mq 7:19; 2Co 5:19.

(8) Rm 7:23-25.

(9) 2Co 5:21; 1Jo 1:7; 1Jo 2:1, 2.

(10) Jo 3:18; Jo 5:24.

****

Fontes Utilizadas:
Vários “Sítios” e enciclopédias na Internet e ainda algumas obras em papel.
Respigado daqui e dali.

Carlos António da Rocha

Este texto é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está escrito com o Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicado nem utilizado para fins comerciais; seja utilizado exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: