… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

19 de janeiro



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas

19 de janeiro

“Busquei-o e não o achei.” (Ct 3:1, ARC, Pt)
DIZ-ME onde perdeste a companhia de Cristo e eu mostrar-te-ei o lugar onde mais provável O acharás. Perdeste Cristo na tua câmara secreta, por descuidares a oração? Então, é aí que deves procurar e achá-Lo. Perdeste Cristo por causa do pecado? Então, só acharás Cristo abandonando o pecado e procurando mortificar, com a ajuda do Espírito Santo, os membros nos quais reside a concupiscência. Perdeste Cristo por seres negligente no estudo das Escrituras? Então deves encontrar Cristo no estudo das Escrituras. Diz um provérbio: “Busca a coisa perdida no lugar onde a deixaste cair, porque aí está.” Assim, procura Cristo onde O perdeste, porquanto Ele não se foi embora. Mas retroceder em busca de Cristo é trabalho duro. Bunyan conta-nos que o Peregrino considerou o caminho retrocedido para o caramanchão, onde tinha perdido o rolo, o mais dificultoso de todos os que tinha andado. É mais fácil andar vinte quilómetros para a frente, do que retroceder um em busca do testemunho perdido.

Procura, pois, ao achares o teu Senhor, estar estreitamente unido a Ele. Mas, como é que O perdeste? Ninguém pensaria que tu jamais te separarias de tão precioso Amigo, cuja presença é tão doce, cujas palavras são tão consoladoras e cuja companhia é tão querida para ti! Como é que tu não olhaste para Ele continuamente por temor de O perder de vista? Todavia, há muito que O deixaste ir, que misericórdia é que agora O estejas procurando, ainda que gemas tristemente, dizendo: “ Ah! Se eu soubesse que o poderia achar!” Continua buscando, porquanto é perigoso estar sem o Senhor. Sem Cristo tu és igual a uma ovelha sem pastor; igual a uma árvore sem água nas suas raízes; igual a uma folha seca na tempestade, não ligada à árvore da vida. Busca-o com todo o teu coração e achá-Lo-ás. Entrega-te a uma busca insistente, e, sem dúvida, achá-Lo-ás para tua alegria e satisfação.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: