… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

19 de janeiro



C. H. Spurgeon
 Livro de Cheques do Banco da Fé
19 de janeiro

“Se com a tua boca confessares ao SENHOR Jesus, e em teu coração creres que Deus O ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” (Rm 10:9, ARC, Pt)

Tem de haver confissão com a boca. Tenho-a feito? Tenho declarado abertamente a minha fé em Jesus como o Salvador a Quem Deus levantou dos mortos, e tenho-o feito conforme Deus manda? Que eu responda a esta pergunta com sinceridade.


Também tem de haver fé no coração. Creio eu sinceramente no SENHOR Jesus ressuscitado? Confio nEle como a minha única esperança de salvação? Esta fé brota do meu coração? A resposta devo dá-la na presença de Deus.



Se eu posso, verdadeiramente, afirmar que tenho confessado a Cristo e crido nEle, então sou salvo. O versículo não diz que “poderia ser assim”, mas é claro como a água e resplandecente como o Sol nos céus: “Serás salvo.” Como crente e como aquele que afirma a sua fé, posso colocar a minha mão sobre esta promessa, e pleiteá-la diante do SENHOR Deus neste momento, e durante toda a minha vida, e na hora da morte, e no Dia do Juízo.



Tenho de ser salvo da culpa do pecado, do poder do pecado, do castigo do pecado, e finalmente, do próprio ser do pecado. Deus tem dito: “Serás salvo.” Eu creio. Serei salvo. Sou salvo. Glória a Deus para todo o sempre!


 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: