… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

2 de janeiro



 C. H. Spurgeon

Leituras Matutinas

2 de janeiro
“Perseverai em oração.” (Cl 4:2, ARC, Pt)


É INTERESSANTE notar quantos passagens nas Sagradas Escrituras se ocupam da oração, subministrando exemplos, inculcando preceitos e fazendo promessas. Logo que abrimos a Bíblia lemos: “Então os homens começaram a invocar o nome do Senhor”, Gn 4:26 (na Versão inglesa). E poucas palavras antes de terminar o Livro, achamo-nos com o ámen de uma ardente súplica. Há inumeráveis exemplos: Aqui achamos a Jacob que luta, acolá a Daniel que ora três vezes por dia, e mais à frente a David que clama a Deus com todo o seu coração. No monte vemos a Elias, no calabouço achamos a Paulo e a Silas. Temos multidões de mandamentos e miríades de promessas. Que outra coisa nos ensina isto a não ser a sagrada importância e a necessidade da oração? Estejamos seguros de que algo que Deus destacou na sua Palavra, deseja que ocupe um lugar importante nas nossas vidas. Se há falado muito da oração, é porque sabe que temos necessidade dela. Tão grandes são as nossas necessidades que até que estejamos no Céu não devemos cessar de orar. Não necessitas de nada? Então temo que não conheces a tua pobreza. Não tens mercê que pedir a Deus? Então que a misericórdia de Deus te mostre a tua miséria. Uma alma sem oração é uma alma sem Cristo. A oração é o balbuceio do menino na fé, o clamor do crente que luta e a música do santo que agoniza e dorme no Jesus. A oração é a respiração, a senha, o consolo, a fortaleza e a honra do cristão. Se és filho de Deus, procurarás o rosto de Teu Pai e viverás no seu amor. Pede a Deus que te conceda este ano ser santo, humilde, zeloso e paciente. Tem uma comunhão mais íntima com Cristo e entra mais frequentemente no banquete do Seu amor. Pede-Lhe que te faça um exemplo e uma bênção para os outros, e que te ajude a viver mais para a glória do Teu Mestre. O mote deste ano deve ser: “Perseverai em oração.”






Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: