… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

30 de janeiro



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
30 de janeiro

“E eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores.”  (Gn 28:15, ARC, Pt)

Necessitamos de misericórdias para a viagem? Aqui temos umas muito especiais — a presença e o cuidado de Deus. Em todo o lugar necessitamos de ambas as coisas, e em todo o lugar tê-las-emos se formos à chamada do dever e não meramente de acordo com a nossa própria fantasia. Por que consideramos a nossa mudança para outro país como uma triste fatalidade, quando ela nos é planeada pela vontade divina? Em todos os países o crente é igualmente um peregrino e um estrangeiro; e, ainda, em cada região o SENHOR é o Seu refúgio, como o tem sido para todos os Seus santos, em todas as gerações. Nós podemos achar falta da proteção de um monarca terrestre, porém, quando Deus diz: «Eu te guardarei», não estamos em nenhum perigo real. Este é um passaporte bem-aventurado para um viajante, e uma escolta segura para o emigrante.



Jacob nunca antes tinha abandonado a casa de seu pai; ele tinha sido um menino mimado da mãe e não um aventureiro como o seu irmão. Contudo, foi para o estrangeiro e Deus acompanhou-o. Tinha pouca bagagem e nenhuns criados; contudo, jamais um príncipe viajou com uma mais nobre guarda pessoal. Até enquanto ele dormia em pleno campo, os anjos zelavam por ele, e o SENHOR Deus falou-lhe. Se o SENHOR nos mandar ir, digamos como nosso SENHOR Jesus: “Levantai-vos, vamo-nos daqui.”



 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: