… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

4 de janeiro


William MacDonald
Um dia de cada vez
4 de janeiro
“Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos.” (Zc 4:6, ARC, Pt)


Este versículo contém a importante verdade de que a obra do Senhor não se leva a cabo por meio da força e do engenho humano mas pelo Espírito Santo.



Vemo-lo na caída das muralhas da cidade de Jericó. Não foi o exército de Israel o que fez com que as muralhas caíssem. Foi o Senhor quem entregou a cidade nas suas mãos quando os sacerdotes tocaram as buzinas de carneiro sete vezes.



Se tivesse dependido de um enorme exército, Gedeão nunca teria derrotado os midianitas, já que o seu exército tinha sido reduzido a tão somente trezentos homens. E o seu armamento pouco convencional consistia em cântaros de barro com tochas no seu interior. Só o Senhor pôde haver-lhes dado a vitória.



Elias eliminou deliberadamente qualquer possibilidade de que a força ou o poder humano pudessem atear fogo ao altar, derramando sobre ele doze cântaros de água. Quando o fogo desceu, não houve lugar para dúvidas quanto à sua origem divina.



Abandonados ao seu próprio engenho, os discípulos nada puderam pescar durante toda a noite. Isto deu oportunidade para que o Senhor lhes mostrasse que deviam buscá-Lo se queriam ser verdadeiramente eficazes no serviço.



É fácil que pensemos que o dinheiro é a maior necessidade no serviço cristão. Na realidade, isto não é assim, e nunca o será. Hudson Taylor tinha razão quando dizia que não devemos temer a falta de dinheiro, mas a abundância, não consagrada do mesmo.



Ou recorremos à politiquice clandestina, a programas promocionais muito dinâmicos, à manipulação psicológica das pessoas ou a uma ardilosa oratória. Entregamo-nos a vastos programas de construção e a edificar um império de organização, pensando inutilmente que estas são as chaves do êxito.



Mas a obra de Deus não avança com o poder, nem com a força, nem com qualquer destas coisas. É com o Espírito do Senhor.



Muita da chamada “obra cristã” em nossos dias poderia continuar sem o Espírito Santo. Mas a verdadeira obra cristã é a que faz com Ele seja indispensável quando se trava a batalha espiritual, não com armas carnais mas com oração, fé e a Palavra de Deus.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: