… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

5 de janeiro



Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest

5 de janeiro “O depois” da vida de poder

“Jesus lhe respondeu: Para onde eu vou, não podes agora seguir-me, mas depois me seguirás.” (Jo 13:36, ARC, Pt)

“E, dito isto, disse-lhe: Segue-me” (Jo 21:19). Três anos antes, Jesus havia dito: “Segue-me” (Mt 4:19), e Pedro segui-O sem hesitação. A atração irresistível de Jesus estava sobre Ele, e Ele não precisou do Espírito Santo para o ajudar a segui-Lo. Mais tarde, ele chegou ao ponto de negar Jesus, e o seu coração despedaçou-se. Em seguida, ele recebeu o Espírito Santo e Jesus disse de novo: “Segue-me” (Jo 21:19). Agora, ninguém está na frente de Pedro exceto o Senhor Jesus Cristo. O primeiro “Segue-me” não era nada misterioso, era um seguir externo. Agora Jesus está a pedir um sacrifício interno e submissão (ver Jo 21:18 ).

Entre estes dois momentos Pedro negou Jesus com juramentos e maldições (ver Mt 26:69-75). Mas depois ele chegou completamente ao fim de si mesmo e de toda a sua auto-suficiência. Não havia nenhuma parte de si mesmo em que jamais pudesse confiar novamente. Em seu estado de miséria, ele estava finalmente pronto para receber tudo o que o Senhor ressuscitado tinha para ele. “…, (Ele) assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo” (Jo 20:22). Não importa que mudanças Deus tem realizado em ti, nunca confies nelas. Confia apenas numa Pessoa, no Senhor Jesus Cristo, e no Espírito, Ele nos dá.

Todas as nossas promessas e resoluções terminam em negação porque não temos poder para realizá-las. Quando chegamos ao fim de nós mesmos, não apenas mentalmente, mas completamente, somos capazes de “receber o Espírito Santo” “Recebei o Espírito Santo” — dá-nos a ideia de uma invasão. Agora há apenas Um que dirige o curso da Tua vida, o Senhor Jesus Cristo.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: