… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 7 de janeiro de 2017

7 de janeiro

Oswald Chambers 
My Utmost for His Highest
7 de janeiro  INTIMIDADE COM JESUS

“Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe?” (Jo 14: 9, ARC, Pt)

Estas palavras não foram ditas como uma repreensão, nem mesmo com surpresa, Jesus estava encorajando Filipe para se aproximar mais dEle. No entanto, Jesus é a última pessoa com quem nos tornamos amigos íntimos. Antes do Pentecostes, os discípulos conheciam Jesus como Aquele que lhes dera poder para dominar os demónios e para produzir um renascimento (ver Lc 10:18-20). Era uma intimidade maravilhosa, mas havia uma intimidade muito mais estreita por vir: “...Tenho-vos chamado amigos...” (Jo 15:15). A verdadeira amizade é rara na Terra. Ela significa identificação com alguém em pensamento, coração e espírito. Toda a experiência da vida é projetada para nos permitir entrar neste relacionamento mais íntimo com Jesus Cristo. Nós recebemos as Suas bênçãos e conhecemos a Sua Palavra, mas será que nós realmente O conhecemos?

Jesus disse: “Que vos convém que Eu vá...” (Jo 16:7). Ele terminou aquele relacionamento para os levar a um relacionamento mais íntimo. É uma alegria para Jesus, quando um discípulo aproveita o tempo para andar mais intimamente com Ele. A capacidade de dar frutos é sempre mostrada na Escritura como o resultado visível de uma relação íntima com Jesus Cristo (ver Jo 15:1-4).

Uma vez que temos intimidade com Jesus nunca estamos sós e nunca nos falta compreensão ou compaixão. Podemos abrir-Lhe continuamente os nossos corações sem sermos vistos como excessivamente sentimentais ou patéticos. O Cristão que está em verdadeira intimidade com Jesus nunca vai chamar a atenção para si mesmo, mas só vai mostrar a evidência de uma vida onde Jesus está totalmente no controle. Este é o resultado de permitir que Jesus satisfaça todas as áreas da vida em profundidade. A impressão resultante de uma vida assim é a do equilíbrio, firme e calmo que o Senhor dá aqueles que são íntimos com ele.





Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: