… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

1 de fevereiro



William MacDonald

Um dia de cada vez

1 de fevereiro

“Do Evangelho da glória de Cristo...” (2Co 4:4, ARC, Pt)

Nunca devemos esquecer que o Evangelho são as boas novas da glória de Cristo; concerne Àquele que foi crucificado e sepultado. Mas, já não está mais na Cruz como tampouco jaz no sepulcro. Ressuscitou, subiu ao Céu, e agora é o Homem glorificado que está à mão direita de Deus.



Não O mostramos como o humilde Carpinteiro de Nazaré, o Servo sofrido ou o Estranho da Galileia. Tampouco o representamos como o efeminado fabricador de boas obras da arte religiosa moderna.



Pregamos o Senhor da vida e da glória. Aquele a quem Deus exaltou até ao sumo e Lhe deu um Nome que é sobre todo o nome. Ao Seu Nome todo o joelho se dobrará e toda língua O confessará como Senhor para glória de Deus, o Pai. Ele está coroado de glória e honra, como Príncipe e Salvador.



Com muita frequência O desonramos com a mensagem que pregamos. Exaltamos o homem com os seus talentos e criamos a impressão de que Deus é muito afortunado ao tê-lo ao Seu serviço, e que lhe faz um grande favor ao confiar nele. Esse não é o Evangelho que os Apóstolos pregaram. Eles disseram, em verdade: “Vós sois os culpáveis assassinos do Senhor Jesus Cristo. Vós O apresastes e com mãos perversas O cravastes no madeiro. Mas Deus ressuscitou-O dos mortos e glorificou-O, sentando-O à Sua própria mão direita nos Céus. O Senhor vive hoje, num corpo glorificado de carne e osso. A Sua mão atravessada pelo prego empunha o ceptro do domínio universal e retornará, uma vez mais, para julgar o mundo com justiça. E, enquanto há tempo, é melhor que vos ARREPENDAIS e vos volteis para Ele com FÉ. Não há outro caminho de salvação. Não há outro nome sob o Céu, dado aos homens, em que possamos ser salvos.”



Oh, que tenhamos uma renovada visão do Homem da Glória! E uma língua que confesse as muitas glórias que coroam as Suas têmporas! Certamente então, como no Pentecostes, os pecadores tremerão ante Ele e clamarão: “Varões irmãos, o que faremos?”




Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: