… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

14 de fevereiro



William MacDonald 
Um dia de cada vez
14 de fevereiro

“Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos Teus servos que falem com toda a ousadia a Tua palavra.” (At 4:29, ARC, Pt)

Quando os primeiros cristãos padeciam perseguição, não esperaram que mudassem as suas circunstâncias. Pelo contrário glorificavam a Deus pelas circunstâncias.



É muito triste comprovar que frequentemente não seguimos o seu exemplo. Esperamos muito para entrar em acção, até que as condições se mostram mais favoráveis. Vemos as barricadas como obstáculos em vez de vê-las como trampolins. Desculpamos as nossas tardanças argumentando que as nossas circunstâncias não são as ideais.



Os estudantes não se comprometem activamente no serviço cristão até que se graduam. Mas apenas isto ocorre, quase imediatamente se ocupam do romance e do matrimónio. Mais tarde, as pressões do emprego e a vida familiar mantêm-nos entregues aos seus trabalhos e decidem esperar até à aposentação. Então, dizem, estarão livres durante o resto da sua vida para servir ao Senhor. Porém, quando chega esse momento, a sua energia e visão esfumaram-se e sucumbem numa vida de ócio.



Ou pode acontecer que nos encontremos trabalhando na igreja local com gente que tem posições de liderança, mas que não vamos com a sua cara. Ainda que sejam fiéis e esforçados, achamo-los desagradáveis e molestos. O que fazemos então? Incomodamo-nos e irritamo-nos com o trabalho, esperando que elas partam para o Senhor. Mas nem isto funciona, pois algumas destas pessoas têm uma longevidade surpreendente. Esperar funerais não é produtivo.



José no Egipto não esperou até sair da prisão para fazer com que a sua vida fosse útil; tinha um ministério de Deus na prisão. Daniel chegou a ser um homem poderoso em Deus durante o cativeiro babilónico. Se tivesse esperado até que o exílio terminasse teria sido muito tarde. Foi durante os dias em que Paulo esteve na prisão que ele escreveu as epístolas aos Efésios, aos Filipenses, aos Colossenses e a Filémon. Não esperou que as circunstâncias melhorassem.



A realidade é que as circunstâncias nunca são as ideais nesta vida. E para o Cristão, não há promessa de que vão melhorar. Assim que, no serviço como na salvação, hoje é o tempo aceitável.



Lutero dizia: “Quem espera até que a ocasião pareça completamente favorável para começar a fazer a sua obra, nunca a encontrará.” E Salomão adverte-nos de que “Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará.” (Ec 11:4, ARC, Pt)


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: