… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 18 de fevereiro de 2017

18 de fevereiro



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas

18 de fevereiro

“Faze-me saber por que contendes comigo.” (Jb 10:2, ARC, Pt)

POSSIVELMENTE, oh alma provada, o Senhor está fazendo isto para desenvolver os teus dons. Alguns dos teus dons nunca seriam descobertos se não fosse pelas provas. Não sabes que a tua fé nunca vez aparece tão grande no tempo estival como no Inverno? O amor é também frequentemente igual a um vaga-lume, se não está no meio das trevas apresenta muito pouca luz. A própria esperança é semelhante a uma estrela— não se vê ante o sol da prosperidade, e só se revela na noite da adversidade. As aflições são com muita frequência o obscuro porta-jóias no qual Deus coloca as jóias espirituais dos Seus filhos, com o fim de que brilhem melhor. Há pouco tempo estando tu sobre os teus joelhos, dizias: “Senhor, temo não ter fé; permite-me saber que realmente a tenho.” Não estavas com isto pedindo provas, ainda que, talvez, inconscientemente? Porque como podes saber que tens fé, até que a tua fé seja exercitada? Não há qualquer dívida, Deus frequentemente envia-nos provas para que os nossos dons possam ser descobertos e para que nos certifiquemos da sua existência. Além disso, não é só a mera descoberta, as provas trazem-nos um real crescimento na graça. Deus frequentemente tira as nossas comodidades e os nossos privilégios com o fim de nos fazer melhores Cristãos. Ele treina os Seus soldados não nas tendas da tranquilidade e da luxúria, mas tira-os dali e exercita-os com marchas forçadas e com serviço difícil de suportar. Ele fá-los vadear cursos de água, nadar pelo meio de rios, subir montanhas e andar muitas e largas milhas com pesadas mochilas de aflição postas sobre as suas costas. Bem, Cristão, isto não explica as aflições pelas quais estás passando? Não está Deus trazendo à luz os teus dons e fazendo-os crescer? Não é precisamente a razão porque Ele está contendendo contigo?

“A provas fazem com que as promessas nos sejam agradáveis;
As provas dão nova vida à oração;
As provas levam-me aos pés de Cristo,
Humilham-me e aí me guardam.”


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: