… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 18 de fevereiro de 2017

18 de fevereiro



Oswald Chambers
My Utmost for His Highest
18 de fevereiro TOMANDO A INICIATIVA CONTRA O DESESPERO

Levantai-vos, partamos.” (Mt 26:46, ARC, Pt)

No Jardim do Getesêmane os discípulos começaram a dormir quando deveriam ter ficado acordados; e, uma vez que compreenderam o que tinham feito, sentiram-se desesperados. O sentimento de ter feito algo que não se pode corrigir tende a desesperar-nos e dizemos: “Bom, já não há nada a fazer, é inútil tentar de novo.” Se pensamos que esta espécie, de desespero é excepcional, estamos equivocados. Trata-se de uma experiência muito comum do ser humano. Sempre que nos damos conta de que temos desperdiçado uma magnífica oportunidade, facilmente nos afundamos no desespero. Entretanto, Jesus aproxima-Se de nós e diz-nos com amor: “Dormi agora. Essa oportunidade perdeu-se para sempre e tu não podes mudar isso. Mas, levanta-te e façamos a próxima coisa.” Por outras palavras, deixa que o passado durma, mas que ele repouse no doce abraço de Cristo. E continuemos para esse promissor futuro com Ele.



Nas vidas de cada um de nós apresentam-se experiências similares a esta. Vamos sofrer períodos de desespero causados por situações reais e não poderemos sair deles. Neste caso, os discípulos tinham feito algo completamente indesculpável: dormiram em lugar de vigiar com Jesus. Mas o nosso Senhor, tomando a iniciativa espiritual contra o desespero deles, aproximou-Se e disse-lhes: “Levantai-vos e fazei a próxima coisa.” Se somos inspirados por Deus, o que é a próxima coisa? É confiar completamente nEle e orar baseados na Sua redenção.



Nunca deixes que o sentimento do fracasso passado frustre as tuas ações futuras.





Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: