… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

2 de fevereiro


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas

2 de fevereiro

“Sem derramamento de sangue não há remissão.” (Hb 9:22, ARC, Pt)

Esta é a voz da verdade inalterável. Em nenhuma das cerimónias Judaicas, mesmo consideradas tipicamente, se fazia a remissão de pecados sem derramamento de sangue. Em nenhum caso e por nenhum meio pode o pecado ser perdoado sem expiação. É claro, então, que não haja esperança para mim fora de Cristo, porquanto não há outro derramamento de sangue que seja considerado como expiação pelo pecado. Estou eu, então, crendo nEle? É realmente aplicada à minha alma o sangue da Sua expiação? Todos os homens estão no mesmo nível, no que respeita à necessidade que têm de Cristo. Por mais morais, generosos, amáveis e patriotas que sejamos, esta regra não será alterada com o fim de fazer para nós uma exceção. O pecado não cede a nada que seja menos potente do que o sangue Daquele a quem Deus enviou como propiciação. Que bênção, porquanto há um único meio de perdão! Por que haveríamos de procurar outro?



As pessoas que professam uma religião meramente formal, não conseguem entender como podemos regozijar-nos de que todos os nossos pecados nos tenham sido perdoados pelo amor de Cristo. As suas obras, as suas rezas e as suas cerimónias dão-lhes um conforto muito pobre; e bem podem eles estar preocupados, pois estão negligenciando a única grande salvação e esforçando-se por conseguir a remissão sem sangue. Minha alma, senta-te e contempla a justiça de Deus, que se vê obrigada a castigar o pecado. Olha todo esse castigo infligido ao teu Senhor Jesus, e em êxtase ajoelha-te humildemente e beija os queridos pés Daquele que fez expiação por ti. É inútil, quando a consciência está desperta, recorrer a sentimentos e a evidências para achar conforto; este é um hábito que aprendemos no Egito da nossa legal escravidão. O único reconstituinte para uma consciência culpada, é a visão de Cristo que sofre na Cruz. “O sangue é a sua vida”, diz a lei Levítica. Estejamos seguros de que o sangue é a vida da fé, da felicidade e de cada uma das outras santas graças.



“Oh! Como é encantador ver o curso

do sangue precioso do meu Salvador;

E com divina certeza saber

Que Ele fez a minha paz com Deus.”


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: