… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

20 de fevereiro



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
20 de fevereiro

“Deus, que consola os abatidos, nos consolou.” (2Co 7:6, ARC, Pt)

E QUEM consola como Ele? Vai a algum pobre, triste e angustiado filho de Deus; comunica-lhe promessas graciosas e põe nos seus ouvidos seletas palavras de consolo; ele será ante elas como uma serpente surda que não responde à voz do encantador, ainda que este procure encantá-la mais subtilmente que nunca. Ele está bebendo fel e absinto e consola-o como possas, unicamente será uma ou duas notas de pesarosa resignação que conseguirás dele; não conseguirás tirar dele nenhum salmo de louvor, nenhuma aleluia e nenhum soneto jovial. Mas deixa que Deus Se aproxime do Seu filho e lhe levante o rosto, e então os olhos do aflito brilharão de esperança. Não o ouves cantar? -


“Se Tu estiveres aqui, isto é um paraíso;

Se Te ausentares, é um inferno.”



Tu não pudeste alegrá-lo: porém o Senhor alegrou-o. “Ele é o Deus de toda a consolação.” Não há bálsamo em Gilead, mas há-o em Deus. Não há médico entre as criaturas, mas o Criador é Jehovah-Rophi (= o SENHOR que te sara). É maravilhoso ver como uma palavra de Deus faz cantar o Cristão! Uma palavra de Deus é igual a um pedaço de ouro; o Cristão é o batedor desse ouro, e pode martelar essa palavra de promessa durante semanas inteiras. Assim, pois, pobre Cristão, não precisas sentar-te desesperado. Vai ao Consolador e pede-Lhe que te dê consolação. Tu és um pobre poço seco. Ouviste dizer que quando uma bomba está seca, deves antes de mais nada derramar-lhe água, e então tu obterás água, e assim, Cristão, quando estiveres seco, vai a Deus, pede-Lhe que derrame abundantemente do Seu gozo no teu coração, e então o teu júbilo será completo. Não vás aos amigos terrestres, porque, no fim de contas, vais achar neles os consoladores de Job; mas vai primeiro e acima de tudo ao teu “Deus, que consola os abatidos”, e logo dirás: “Multiplicando-se dentro de mim os meus cuidados, as Tuas consolações reanimaram a minha alma.”

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: