… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

23 de fevereiro



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
23 de fevereiro


“Se vós estiverdes em Mim, e as Minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.” (Jo 15:7, ARC, Pt)

Devemos estar em Cristo, inevitavelmente, para podermos viver para Ele, e temos de permanecer nEle para sermos capazes de exigir a generosidade desta Sua promessa. Permanecer em Jesus é nunca O abandonar por outro amor, ou por outro objecto, mas é permanecer numa união viva, amorosa, consciente e disposta, com Ele. O pâmpano está sempre, não apenas perto do caule, mas está sempre recebendo vida e fertilidade dele. Todos os crentes verdadeiros permanecem em Cristo num sentido; porém, há um significado mais elevado que devemos conhecer antes de que possamos alcançar um poder ilimitado no trono. “Pedireis tudo o que quiserdes” é para os ‘Henoches’ que caminham com Deus, para os ‘Joões’ que se recostam no peito do SENHOR, para aqueles cuja união com Cristo os conduz a uma comunhão constante.



O coração tem de permanecer em amor, a mente deve estar enraizada na fé, a esperança deve estar cimentada na Palavra, o homem inteiro deve estar unido ao Senhor, ou então, seria perigoso que nos confiasse o poder da oração. A carta branca (Os plenos poderes) só pode ser outorgada a alguém, cuja vida própria é: “Não mais eu, mas Cristo vive em mim.” Oh, vós que quebrais a vossa comunhão, quanto poder perdeis! Se quereis ser poderosos nas vossas súplicas, o próprio SENHOR tem de permanecer em vós, e vós nEle.



 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: