… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

24 de fevereiro



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
24 de fevereiro

“Se vós estiverdes em Mim, e as Minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.” (Jo 15:7 ACF, Pt)

Notai bem, que temos de ouvir Jesus falar, se esperamos que Ele nos ouça falar. Se não temos um ouvido para Cristo, Ele não terá um ouvido para nós. Na proporção em que ouvirmos, seremos ouvidos.



Além disso, tudo o que ouvirmos, tem de permanecer, tem de viver em nós, e tem de permanecer no nosso carácter como uma força e um poder. Temos de receber as verdades que Jesus ensinou, os preceitos que Ele promulgou, e os movimentos do Seu Espírito dentro de nós; ou, não teremos poder perante o propiciatório.



Supondo que as palavras de nosso SENHOR são recebidas, e permaneçam em nós, que campo ilimitado de privilégio seria aberto para nós! A nossa vontade se cumprirá através da oração, porque que já rendemos a nossa vontade ao mandamento do SENHOR. Deste modo são treinados os ‘Elías’ para manejar as chaves do céu, e cerrar ou abrir as nuvens. Um homem assim tem o valor de mil cristãos vulgares. Desejamos humildemente ser intercessores a favor da Igreja e do mundo, e como Lutero, sermos capazes de receber do SENHOR, o que queremos? Então temos de inclinar os nossos ouvidos à voz do Bem Amado, e entesourar (guardar na memória) as Suas palavras, e obedecer-lhes com cuidado. Aquele que queira orar eficazmente, tem de “ouvir atentamente”.

 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: