… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

24 de fevereiro



C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
24 de fevereiro

“Ó SENHOR dos Exércitos, até quando não terás compaixão de Jerusalém?... E respondeu o SENHOR ao anjo, que falava comigo, com palavras boas, palavras consoladoras.” (Zc 1:12-13, ARC, Pt)

QUE resposta amável a uma pergunta ansiosa! Esta noite vamos regozijarmo-nos nela. Oh! Sião, há boas coisas guardadas para ti. A tua hora de parto logo passará; os teus filhos nascerão; o teu cativeiro terminará. Suporta pacientemente a disciplina por um tempo e até sob as trevas confia ainda em Deus, pois o Seu amor arde por ti. Deus ama a Igreja com um amor demasiadamente profundo para a compreensão humana; Ele ama-a com todo o Seu coração infinito. Portanto, os Seus filhos devem estar alegres. Não pode estar longe da prosperidade aquela Igreja a quem Deus dirige “palavras boas, palavras consoladoras”. Quais são estas palavras consoladoras, o profeta o diz a seguir: “Com grande zelo estou zelando por Jerusalém e por Sião”. O Senhor ama tanto a Sua Igreja que não pode permitir que ela se extravie atrás de outros; e, quando ela tem caído nesse mal, Ele não pode vê-la sofrer muito nem muito severamente. Ele não permitirá que os seus inimigos a aflijam; Ele está aborrecido com eles porque aumentam a miséria dela. Quando mais parece que Deus abandona a Sua Igreja, mais afetuoso Se mostra o Seu coração para com ela. A história demonstra-nos que quando Deus usa uma vara para castigar os Seus servos, sempre a quebra depois, como se Ele abominasse a vara que causou dor aos Seus filhos. Ele sente mais do que o Seu povo as feridas. “Assim como um pai se compadece de seus filhos, assim o SENHOR Se compadece daqueles que O temem.” Deus não nos esquece porque nos tenha ferido; os seus golpes não são evidência de falta de amor. Se isto é verdade a respeito da Sua Igreja coletivamente, também o é necessariamente a respeito de cada membro individualmente. Podes temer que o SENHOR te tenha esquecido, mas não é assim. Ele, que conta as estrelas, e as chama pelos seus nomes, não Se esquecerá dos Seus próprios filhos. Ele conhece a tua situação tão perfeitamente como se tu fosses o único ser que Ele criou, ou o único santo a quem Ele amou. Acerca-te dEle e fica em paz.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: