… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 25 de fevereiro de 2017

25 de fevereiro



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé

25 de fevereiro

“Porém vós sereis chamados sacerdotes do SENHOR.” (Is 61:6, ARC, Pt)

Esta promessa, que é literal para Israel, pertence espiritualmente à semente segundo o Espírito, isto é, a todos os crentes. Se vivêssemos segundo os nossos privilégios, viveríamos para Deus tão claramente e tão distintamente, que os homens veriam que somos separados para o serviço santo, e nos nomeariam sacerdotes do SENHOR. Podemos trabalhar ou comerciar, como fazem os outros, e, não obstante, sermos única e inteiramente os servos ministrantes de Deus. A nossa única ocupação seria apresentar o perpétuo sacrifício de oração, de louvor, de testemunho, e de consagração pessoal, ao Deus vivente por meio de Jesus Cristo.



Sendo este o nosso único objectivo, podemos deixar os assuntos que distraem, para aqueles que não têm uma chamada mais elevada. “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos.” Está escrito: “E os estrangeiros apascentarão as vossas ovelhas, e os estranhos serão os vossos lavradores e vossos vinhateiros.” Eles podem manejar a política, deslindar problemas financeiros, discutir a ciência, e resolver os últimos e os recentes sofismas da crítica; mas nós entregar-nos-emos ao serviço que convém àqueles que, como o SENHOR Jesus, são ordenados para um sacerdócio perpétuo.



Aceitando esta honorável promessa que envolve um dever sagrado, vistamos a vestimenta da santidade, e ministremos diante do Senhor durante todo o dia.




 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: