… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

27 de fevereiro



William MacDonald
Um dia de cada vez
27 de fevereiro

“Deus escolheu... as coisas fracas deste mundo... para confundir as fortes.” (1Co 1:27, ARC, Pt)

Se um carpinteiro tomasse pedaços toscos e desperdícios de madeira e com eles fizesse um móvel esplêndido, ganharia muita mais fama do que se empregasse grandes pedaços de material muito fino. Da mesma maneira, quando Deus utiliza coisas que são estimadas como néscias, indignas e débeis e com elas consegue resultados formidáveis, isto não faz senão magnificar a Sua habilidade e o Seu poder. As pessoas não podem atribuir a maravilha à matéria prima, e vêm –se obrigadas a reconhecer que somente o Senhor é digno de louvor.



O livro dos Juízes provê muitas ilustrações onde Deus utiliza as coisas débeis do mundo para envergonhar as que são fortes. Eúd, por exemplo, era um benjamita canhoto. A mão esquerda na Escritura significa debilidade e todavia, com ela Eúd derrubou a Eglon, rei do Moab e o país ficou tranquilo por oitenta anos (Jz 3:12-30).



Samgar saiu à batalha brandindo uma aguilhada de bois, e apesar de usar uma arma tão estranha feriu 600 filisteus e assim libertou a Israel (Jz 3:31). Débora formava parte do “sexo débil”, todavia, com o poder de Deus obteve uma vitória esmagadora sobre os cananeus (Jz 4:1; 5:31). Os 10 000 soldados de infantaria de Barac eram um pobre opositor, humanamente falando, contra as 900 carruagens de Sísera e não obstante, Barac varreu o campo inimigo (Jz 4:10, 13). Jael, outro membro do “sexo débil”, matou a Sísera com uma arma tão pouco convencional como uma estaca (Jz 4:21). De acordo com a Septuaginta, agarrou a estaca com a sua mão esquerda. Gedeão partiu contra os midianitas com um exército que o Senhor tinha reduzido de 32 000 a 300 homens (Jz 7:1-7). O seu exército descreve-se sob a figura de um bolo ou pão de cevada. Já que o pão de cevada era a comida do pobre, a descrição é de pobreza e debilidade (Jz 7:13). As armas inauditas do exército de Gedeão eram cântaros de barro, tochas e buzinas (Jz 7:10). E como se isso não fosse suficiente, para assegurar a derrota, os cântaros deviam quebrar-se (Jz 7:19). Abimelech foi derrubado pela mão de uma mulher que deixou cair sobre a sua cabeça um pedaço de pedra de moinho (Jz 9:53). Um dos juízes de Israel chamava-se Tola, que significa verme, um título pouco favorável para um libertador militar (Jz 10:1). Quando nos encontramos pela primeira vez com a mãe da Sansão, era ela uma mulher estéril e desconhecida (Jz 13:2). Finalmente, Sansão matou a 1 000 filisteus com tão somente uma queixada de asno (Jz 15:15).



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: