… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

27 de fevereiro



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas

27 de fevereiro

“Porque Tu, ó SENHOR, és o meu refúgio! O Altíssimo é a tua habitação.” (Sl 91:9, ARC, Pt)

ENQUANTO estiveram no deserto, os Israelitas estavam continuamente expostos à mudança. Quando a coluna de nuvem se detinha, as tendas eram montadas; mas ao dia seguinte, antes que o sol da manhã se levantasse, a trombeta soava, a arca ficava em movimento, e a ardente coluna de nuvem guiava-os pelo caminho através dos estreitos desfiladeiros das montanhas ou ao longo do árido e desolado deserto. Assim que descansavam um pouco, ouviam a voz de “Fora, este não é o vosso repouso; deveis ir mais para adiante peregrinando em direcção a Canaan!” Nunca permaneciam muito tempo num lugar. Nem poços nem palmeiras podiam detê-los. Mas, apesar disto tinham no seu Deus um lar permanente. O teto desse lar era a coluna de nuvem e a sua luz, à noite, era a coluna de fogo. Tinham de partir avançando de lugar em lugar, mudando continuamente, sem nunca ter tempo para estabelecer-se num lugar e dizer: “Agora estamos seguros; permaneceremos aqui.” “Contudo,” Moisés diz – “Se bem que nós estamos sempre mudando-nos, Senhor, Tu tens sido o nosso refúgio em todas as gerações.” Com respeito a Deus, o Cristão não conhece nenhuma mudança. Ele pode ser rico hoje e pobre manhã; ele estar adoentado hoje e bem amanhã; ele pode gozar hoje de felicidade e estar amanhã desolado, mas mão há mudança com respeito à sua relação com Deus. Se Ele me amou ontem, Ele ama-me hoje. A minha imóvel mansão de descanso é o meu bendito Senhor. Que as minhas boas perspectivas se desvaneçam, que as minhas esperanças se esfumem, que cesse o meu gozo, que os bolores destruam tudo; eu não perdi nada do que tenho em Deus. Ele é “a minha habitação forte, à qual posso recorrer continuamente.” Eu sou um peregrino neste mundo, mas no Céu que é meu lar, está o meu Deus. Na Terra sou um peregrino, porém em Deus eu habito como numa tranquila habitação.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: