… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

27 de fevereiro



C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
27 de fevereiro
“Cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.” (Mq 5:2, ARC, Pt)

O SENHOR Jesus teve saídas em prol do Seu povo como seu representante diante do trono, muito antes de que o Seu povo tivesse existência. Foi “desde os dias da eternidade” que Jesus assinou o pacto com Seu Pai que O comprometia a pagar sangue por sangue, sofrimento por sofrimento, agonia por agonia e morte por morte a favor do Seu povo. Foi “desde os dias da eternidade” que Ele Se deu a Si mesmo sem proferir palavra, para que desde a cabeça até os pés suasse grandes gotas de sangue, para que fosse cuspido, ferido, escarnecido e esmagado sob as dores da morte. As Suas saídas como nosso Fiador foram desde a eternidade. Detém-te, minha alma, e admira-te! Tu tiveste saídas na pessoa de Jesus “desde os dias da eternidade.” Cristo amou-te não só quando nasceste no mundo, mas também as Suas delícias estiveram com os filhos dos homens antes de que estes existissem. Ele pensou neles frequentemente. De eternidade a eternidade Ele pôs neles o Seu afeto. O quê! minha alma, tanto tempo esteve Ele ocupado na tua salvação, e agora não a cumprirá? Ele saiu desde a eternidade para me salvar, e agora deixar-me-á perder? O quê! Levou-me nas Suas mãos como jóia preciosa, e agora deixar-me-á escorrer entre os Seus dedos? Escolheu-me antes que os montes fossem feitos ou se cavassem os canais do abismo, e agora rejeitar-me-á? Impossível! Tenho a certeza de que Ele não me teria amado tanto se Ele não tivesse sido um imutável Amador. Se Ele pudesse cansar-se de mim, ter-Se-ia cansado há muito tempo. Se Ele não me tivesse amado com um amor tão profundo como o inferno e tão forte como a morte, há muito que Ele Se teria afastado de mim. Oh! Gozo sobre todos os gozos, saber que sou a Sua eterna e inalienável herança, dada a Ele por Seu Pai. O amor eterno será a almofada para a minha cabeça esta noite.




Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: