… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

27 de fevereiro


Oswald Chambers

My Utmost for His Highest
27 de fevereiro O MINISTÉRIO EMPOBRECIDO DE JESUS

Onde, pois, tens a água viva?” (Jo 4:11, ARC, Pt)

“O poço é fundo”, muitíssimo mais fundo do que a mulher samaritana entendia! (Ver Jo 4:11). Considera as profundidades da natureza humana e da vida do homem, pensa nas águas profundas dos “poços” que há em ti. Estiveste limitando ou empobrecendo o ministério de Jesus até ao ponto dEle ser incapaz de obrar na tua vida? Imagina que dentro do teu coração há um “poço” profundo de dor e inquietação, e que Jesus Se aproxima e te diz: “Não se turbe o vosso coração...” (Jo 14:1). Então, tu encolhes os ombros e respondes-Lhe: “Mas, Senhor, o poço é muito profundo e nem sequer Tu podes tirar tranquilidade e consolo dele.” Na realidade, isso é correto. Jesus não tira nada dos poços da natureza humana, Ele trá-los do alto. Nós limitamos o Santo de Israel, lembrando apenas o que Lhe permitimos fazer por nós no passado, e também, dizendo: “Evidentemente, eu não posso esperar que Deus faça esta coisa particular.” Aquilo que põe à prova a Sua omnipotência é o mesmo que nós como discípulos de Jesus deveríamos crer que Ele fará. Empobrecemos e debilitamos o Seu ministério em nós quando esquecemos que Ele é omnipotente; o empobrecimento está em nós, não nEle. Acorremos a Jesus como nosso consolador ou nosso Deus compassivo, mas não queremos aproximar-nos dEle como nosso Todo-poderoso Deus.



Alguns de nós somos exemplos muito pobres de Cristianismo porque não conseguimos reconhecer que Cristo é omnipotente. Temos atributos e experiências cristãs, mas não há entrega nem rendição a Jesus Cristo. Quando enfrentamos circunstâncias difíceis, empobrecemos o Seu ministério declarando: “Evidentemente que Ele não pode fazer nada a este respeito.” Então, lutamos por alcançar o fundo do nosso poço e procuramos conseguir obter a água pelos nossos próprios meios. Guarda-te de desistir e afirmar: “Isso não se pode fazer!” Tu sabes que é possível, se olhares para Jesus. O poço da tua imperfeição é fundo, mas faz o esforço de apartar o olhar de ti mesmo e dirigi-lo para Ele.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: