… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

28 de fevereiro



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas

28 de fevereiro

“Dele vem a minha esperança.” (Sl 62:5, ARC, Pt)

USAR esta linguagem é o privilégio do crente. Se ele está esperando alguma coisa do mundo, ela é, de facto, uma pobre “esperança.” Mas se ele espera em Deus para que Ele lhe supra as suas necessidades, quer nas bênçãos materiais quer nas espirituais, a sua “esperança” não será em vão. Ele pode constantemente tirar recursos do banco da fé e fazer com que as suas necessidades fiquem satisfeitas pelas riquezas da bondade de Deus. Isto sei, eu prefiro ter a Deus como meu banqueiro que a todos os Rothschilds (multimilionários). O meu Senhor nunca falha no cumprimento das Suas promessas; e quando as levamos ante o Seu trono, nunca as devolve sem receberem resposta. Portanto, aguardarei somente ante a Sua porta, porque Ele abre-a sempre com a mão da graça munificente. Prová-Lo-ei outra vez nesta ocasião. Porém, nós temos também “esperança” além desta vida. Em breve morreremos; e então “dEle vem” a nossa “esperança.” Não esperamos nós que quando estivermos no leito da dor Ele enviará os Seus anjos para nos levar para o Seu seio? Nós cremos que quando nos falta o pulso e o nosso coração palpita dificilmente, algum mensageiro angélico estará ao nosso lado e olhar-nos-á com olhos amorosos, sussurrando: “Espírito irmão, vamos!” E ao aproximarmo-nos da porta celestial, esperamos ouvir este grato convite: “Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.” Estamos esperando harpas de ouro e coroas de glória; estamos esperando estar em breve entre a multidão de seres resplandecentes diante do trono. Estamos na expectativa agradável e ansiosos pelo tempo quando seremos semelhantes ao nosso glorioso Senhor, porque “Assim como é O veremos.” Se estas, são as tuas “esperanças”, oh minha alma, vive para Deus, vive com o desejo e a resolução de glorificar Aquele de quem vêm todas as provisões, e por cuja graça demonstrada na tua eleição, redenção e chamada, é que tu tens a “esperança” da glória vindoura.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: