… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

9 de fevereiro



C. H. Spurgeon 
Leituras Matutinas
9 de fevereiro

“E David consultou o SENHOR.” (2Sm 5:23, ARC, Pt)

QUANDO David fez esta consulta acabava de lutar com os Filisteus e de obter uma significativa vitória. Os Filisteus subiram em grande número, mas, pela ajuda de Deus, David pô-los em fuga facilmente. Notemos, todavia, que quando os Filisteus vieram pela segunda vez, David não lhes saiu ao encontro sem antes consultar o SENHOR. Como tinha saído vitorioso uma vez, podia haver dito, como o têm feito muitos em outros casos: “Sairei vitorioso outra vez; posso estar seguro de que se eu hei levado a melhor uma vez, triunfarei ainda outra vez. Por que razão, pois, devia eu esperar para consultar o SENHOR?” David não procedeu assim. Ele tinha ganho uma batalha pelo poder do SENHOR; porém, ele não se aventurará noutra até ele ter garantido o mesmo poder. Ele perguntou ao SENHOR, “Irei contra eles?”, e ele esperou até que o sinal de Deus foi dado. Aprendamos de David a não dar nenhum passo sem Deus. Cristão, se queres conhecer o caminho do dever, tem a Deus por tua bússola; se desejas dirigir o teu navio através das ondas alterosas, põe a cana do leme nas mãos do Todo-Poderoso. Muitas rochas poderiam ser esquivadas se permitíssemos que o nosso Pai governe o leme; muitos bancos de areia ou muita areia movediça [(fig.) assunto ou situação perigosa e traiçoeira] poderiam ser evitados se deixássemos a Sua soberana vontade escolher e comandar. O Puritano disse, “Tão certo como sempre, quando um cristão esculpe por si mesmo, ele cortará os seus próprios dedos;” esta é uma grande verdade. Disse outro velho teólogo, “Aquele que vai antes da nuvem da providência de Deus vai numa caminhada inútil;” e assim ele faz. Devemos dar-nos conta de que a providência de Deus nos guia; e se a providência demora, esperemos até que a providência chegue. Aquele que vai antes da providência, sentir-se-á contente se voltar outra vez ao lugar de partida. “Instruir-te-ei e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir,” é a promessa que Deus faz ao Seu povo. Levemos, então, todas as nossas perplexidades para Ele, e digamos-Lhe: “Senhor, que queres que eu faça?” Não deixes a tua casa esta manhã sem inquirir primeiro da vontade do Senhor.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: