… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 8 de maio de 2017

SALMO 15


C. H. Spurgeon
 O Tesouro de David
 SALMO 15

Este Salmo de David não tem título ou dedicatória que indique a ocasião em que foi escrito, mas é muito provável que a sua composição, juntamente com a do Salmo vinte e quatro, que tem com ele uma notável semelhança, estivesse relacionada com a trasladação da Arca para o monte santo de Sião.



Chamar-lhe-emos o Salmo de “A pergunta e da resposta”. O primeiro versículo faz a pergunta; o resto dos versículos são a resposta.



Vers. 1. SENHOR, quem habitará no teu tabernáculo? Ali onde os anjos inclinam os seus rostos velados, como poderá o homem adorar absolutamente? C. H. S.



Quem é este? Dizei-o se podeis:

Quem chegará a esta firme morada?

Pilatos disse: “Eis aqui o Homem!”

E João: “Eis aqui o Cordeiro de Deus!”



John Barclay, citado por A. A. Bonar, in loc.



Vers. 2. Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e fala verazmente, segundo o seu coração, noutra versão, Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração. Observai o andar, o obrar e o falar do homem aceito. O andar é de mais importância do que o falar. Só é justo o que anda em integridade e faz justiça. A sua fé mostra-se mediante boas obras, e, portanto, não é uma fé morta. A casa de Deus é uma colmeia de operários, não um ninho de parasitas. C. H. S.



Quando os mecanismos de um relógio se movem dentro da caixa, os ponteiros do relógio, no mostrador, mexem-se por fora. Quando o coração de um homem é são na sua conversão, então a vida será formosa na sua religião. Quando uma conduta está escondida da vista, como poderemos julgar a fonte senão pelas águas que circulam e saem do cano? William Secker.



E pratica a justiça. Um justo pode fazer obras justas, mas não há obras de um homem injusto que o possam fazer justo. Agora só nos tornamos justos pela fé, através da justiça de Cristo a nós imputada. Romanos 5:1. Thomas Boston



A escada de Jacob tinha degraus, nos quais jamais se viu que alguém estivesse quieto, mas todos ascendiam ou descendiam por ela. Ascende tu também da mesma maneira ao extremo da escada, ao Céu, e ali ouvirás Um que diz: “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.Thomas Playfere



Mas observa aqui, diz David, “pratica a justiça”; não que fala sobre a justiça, que pensa ou ouve sobre ela; “Porque, os que ouvem a lei não são justos diante de Deus; mas os que praticam a lei hão de ser justificados” (Rm 2:13),ou noutra versão, “não são os ouvidores da lei, mas os obreiros da lei, os que são justificados”. A única obra que podemos esperar que seja considerada e tida em conta é a obra de justiça; todas as demais obras que nos impulsionam ou atraem sob a aparência de piedade não são nada. Martin Luther.



E fala verazmente, segundo o seu coração, noutra versão, E fala verdade em seu coração. Os anatomistas observaram que a língua do homem está relacionada com uma dupla corda ao coração. Thomas Boston



Estou agradecido pela convicção e sentimento que tenho da maldade de mentir; o Senhor aumente o meu aborrecimento para com Ele. Esforçar-me-ei por me limpar de toda a imundície: nunca haverá uma língua mortificada enquanto houver um coração por mortificar. Benjamin Bennet's "Christian Oratory," 1728.



Vers. 3. Aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhum opróbrio contra o seu próximo. Todos os caluniadores são o fole do diabo para aumentar a contenda, mas são piores os que sopram por detrás do fogo. Trapp diz que “o mexeriqueiro leva o diabo na sua língua, e os que o escutam, o diabo nos seus ouvidos”.



“Deixem este homem!”, dizemos de um bêbado; contudo, é discutível se o seu comportamento sáfio nos causará tanto dano como a historieta insinuante do mexeriqueiro. “Chamem a polícia!”, dizemos quando vemos um ladrão fazendo das suas; não deveríamos sentir indignação quando ouvimos um mexeriqueiro aplicado no seu trabalho? “Cão raivoso, cão raivoso!” é um grito terrível e causa um grande alvoroço, mas há poucos cães que mordam com tanta sanha como as línguas dos que levam bisbilhotices. “Fogo, fogo!” é um grito que nos alarma, mas a língua do mexeriqueiro foi acesa no fogo do Inferno, e os que se ocupam em mexericar fariam melhor em mudar, pois vão achar que há fogo no Inferno para as línguas sem freio. C. H. S.



E isto seria mais tolerável se fosse a única falta do homem ímpio, dos inimigos da religião, porque como diz o provérbio: “A maldade procede do malvado.” Quando o coração de um homem está cheio do Inferno, não é de estranhar escutar a esta pessoa que reprocha os homens de bem, inclusive pela sua bondade. Mas, ai!, a enfermidade não se limita a isto; esta praga não se acha só entre os egípcios, mas também entre os israelitas. Tem compaixão dos teus irmãos; já é suficiente que os ministros e cristãos piedosos estejam cheios de reproche para o mal, não há necessidade de que tu contribuas também com a tua porção nesta forma diabólica. Matthew Poole, 1624-1679.



A víbora só fere quando pica; as ervas ou raízes venenosas só matam ao que as masca, maneja, cheira ou se aproxima delas; mas o veneno das línguas caluniadoras é muito mais letal e pestífero; porque às escondidas mata e fere, não só ao de perto, mas também ao de longe; não só ao de casa, mas também ao de fora; não só na nossa nação, mas também nos países estrangeiros; e não tem compaixão nem de vivos nem de mortos. Richard Turnbull



Vers. 3, 4 e 5. Aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhuma afronta contra o seu próximo; Aquele a cujos olhos o réprobo é desprezado; mas honra os que temem ao Senhor; aquele que, mesmo que jure com dano seu, não muda. Aquele que não empresta o seu dinheiro com usura, nem recebe peitas contra o inocente; quem faz isto nunca será abalado. Que me importa ver um homem comovido ao escutar um sermão, se engana e mente logo que chega a sua casa? O que não tem religião para governar a sua moralidade não é muito melhor do que o meu mastim; enquanto o acaricias, agrada-lhe e se não o beliscas, brincará contigo como se fosse um animal bom e moral; mas se o magoas, atirar-se-á à tua cara e rasgar-te-á o pescoço. John Seldon, 1584-1654.



Vers. 4. Aquele a cujos olhos o réprobo é desprezado; mas honra os que temem ao Senhor, ou noutra versão, Aquele a cujos olhos o vil é menosprezado, mas honra aos que temem ao SENHOR. Um pecador adornado com uma cadeia de ouro e vestidos de seda não pode ser comparado com um santo em farrapos, como a luz de um castiçal de prata com a luz do Sol, depois de uma nuvem. C. H. S.



O condenar o mau e honrar o piedoso são coisas que estão em oposição. Deus não aborrece ninguém, mas não há nada que Ele aborreça mais no mundo que o pecado. Peter Baro, D.D., 1560.



Agostinho, como diz Possidónio, para mostrar quanto aborrecia os mexiriqueiros e caluniadores dos demais, tinha dois versitos escritos sobre a sua mesa; a tradução dos mesmos é como segue:



Aquele que gosta de difamar o ausente,

Saiba que nesta mesa não pode estar presente.



Richard Turnbull



Aquele que jura para seu próprio dano, e não muda depois.

As suas palavras são firmes como oráculos;

O seu amor, sincero; imaculado é o seu pensamento;

As suas lágrimas, do coração mensageiros diretos;

O seu coração acha-se da fraude tão distante

Como longe se acha o Céu do Inferno.



William Shakespeare (Batizado em 26 de abril de 156423 de abril de 1616. Esta datas seguem o calendário juliano, usado na Inglaterra durante a vida de Shakespeare. No calendário gregoriano, adotado nos países católicos em 1582, Shakespeare morreu no dia 3 de maio (Schoenbaum 1987, xv).)



Vers. 5. Aquele que não empresta o seu dinheiro com usura, nem recebe peitas contra o inocente. Os teólogos puritanos estão quase unanimemente contra o aceitar qualquer juros por um empréstimo de dinheiro, e chegam a dizer que emprestar um penny (Penny antigo - ou pence antigos, dito no plural- é a expressão utilizada no Reino Unido para descrever a unidade monetária antes da pré adopção do sistema decimal em 1971) por cento ao ano basta para levar ao Inferno ao que persiste em fazê-lo. O exigir um juro excessivo é um pecado detestável; o recolher os juros usuais e correntes num país comercial não é contrário à lei do amor. C. H. S.



Por usura entende-se geralmente o ganho de algo por cima do capital, ou seja do que se empresta, exigido só em consideração ao empréstimo, trate-se de dinheiro, trigo, mercadoria ou outra coisa semelhante. É considerado como um ganho ilegítimo o que uma pessoa faz por meio do seu dinheiro ou dos seus bens. Alexander Cruden, 1701-1770.



Não há espécie de usura pior do que uma maneira injusta de fazer acordos, em que a equidade é posta de lado pelos dois participantes nele. Recordemos, pois, que todos os acordos em que alguém injustamente procura ganhar por meio da perda do outro, dê-se-lhe o nome que se queira, têm de ser condenados.



Pode-se perguntar se todas as espécies de empréstimos com juros têm de ser postas sob esta denúncia e ser consideradas como ilegítimas. Se as condenarmos a todas sem distinção, há o perigo de que muitos se vejam levados a uma situação apurada em que, vendo que têm de incorrer em pecado em qualquer modo que se movam, possam sentir-se desesperados e, por isso, se lancem em toda a classe de usura, sem discriminação. Por outro lado, quando admitimos que algo pode fazer-se legalmente nesta direção, muitos podem crer que lhes é dada carta branca, e pensam que lhes foi concedido fazer uso da usura sem controlo ou moderação.



Não é sem causa que Deus, em Levítico 25:35-37, proíbe a usura, acrescentando esta razão: “E, quando o teu irmão empobrecer, e as suas forças decaírem, então sustentá-lo-ás, como estrangeiro e peregrino, para que viva contigo. Não tomarás dele usura nem ganho; mas do teu Deus terás temor, para que o teu irmão viva contigo. Não lhe darás o teu dinheiro com usura, nem darás o teu manjar por interesse”, Ou noutra versão,E quando teu irmão empobreça e se acolha a ti, tu o ampararás; como forasteiro e estrangeiro viverá contigo. Não tirarás dele usura nem ganho, mas terás temor do teu Deus, e teu irmão viverá contigo. Não lhe darás o teu dinheiro por usura, nem os teus mantimentos por interesse.” Vemos que o fim que motiva a lei foi que o homem não oprima cruelmente o pobre, mas que o receba com simpatia e compaixão.



De onde se segue que o ganho que adquire o que empresta o seu dinheiro a juros sem causar opressão a outro não está incluída dentro do capítulo da usura injusta. A palavra hebraica neshek que David emprega, deriva-se de outra que significa “morder”, o que mostra suficientemente que a usura é condenada quanto ao feito implicado nela de levar à licença de roubar e exaurir o nosso próximo. Em resumo, sempre que tenhamos gravado no nosso coração a regra de equidade que Cristo prescreve em Mateus 7:12: “Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós”, não será necessário entrar numa discussão prolongada em relação à usura. John Calvin in loc A Practical and Polemical Commentary, or Exposition on the whole Fifteenth Psalm, wherein the text is learnedly and fruitfully explained, some controversies discussed, sundry cases of conscience are cleared; more especially that of USURIE. By CHRISTOPHER CARTWRIGHT, late minister of Saint-Martin's, in the city of York. 1658. 4to.



Quem faz isto nunca será abalado. Não é o que ouve muito ou fala muito de religião, nem o que prega ou ora muito, nem o que pensa muito sobre estas coisas e tem boa intenção, mas o que faz estas coisas – que realmente se ocupa nelas – que é religioso e verdadeiramente piedoso.



Não é o que professa de modo formal, que discute muito, o perfecionista; não é o que ouve constantemente ou fala sem cessar, nem o mestre laborioso, nem o irmão dotado, nem o que tem bons desejos passageiros, mas o que honrada e sinceramente faz estas coisas, que permanecerá firme na prova, enquanto que todas as pretensões falsas arderão e se consumirão sob as chamas esquadrinhadoras, como palha e folhagem, segundo expressa o apóstolo Paulo (1Co 3:12).



O usar a libré de Cristo e ela não lhe servir, é uma burla para o Mestre; o ser admitido na nossa profissão e negá-la na nossa vida prática, é como o caso e Judas: é traí-Lo com um beijo de homenagem; como os rudes soldados, inclinar o joelho diante dEle e, enquanto isso, golpear-Lhe a sagrada cabeça com o cetro de cana; e como Pilatos, coroá-Lo de espinhos, crucificá-Lo e escrever sobre a Sua cabeça “Rei dos judeus”; numa palavra, é injuriá-Lo com nossas honras e feri-Lo com nossos reconhecimentos.



Professar ser cristãos sem que haja uma vida que a isso corresponda, não só não contribuirá de forma alguma para salvar a alguém, mas também agravará a condenação do tal; uma amizade fingida, no grande dia dos descobrimentos, ver-se-á que é a pior das inimizades. Uma mera formalidade externa de adoração é, no mais, o sacrifício de Prometeu, um esqueleto de ossos e uma fraude religiosa. Condensado por Adam Littleton, D.D., 1627-1694.



Porque se fosse bastante o ler ou escutar estes preceitos, então haveria um número ingente de pessoas vãs e malvadas que entrariam e continuariam na igreja, que, depois de tudo, não têm lugar nela; porque há muito poucos, ou nenhuns, que não tenham lido ou escutado estas coisas. Apesar disso, não as fazem. Richard Turnbull Four Sermons, by way of Exposition of Psalm XVERS., by RICHARD TURNBULL, are found at the end of the old 4to containing his Exposition of the Epistles of James and Jude. There is no separate title page to the Exposition of the Psalm; the date of the book is 1606.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: