… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 16 de março de 2017

16 de março



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé

16 de março

“O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco.” (Fl 4:9, ARC, Pt)

É bom quando um homem pode ser imitado minuciosamente com proveito, como Paulo podia ser imitado. Oh, que recebamos a graça para imitá-lo neste dia, e em todos os dias!

Se nós, pela graça divina, puséssemos em prática o ensino de Paulo, poderíamos reclamar a promessa que agora está aberta perante nós; e que promessa! Deus, que ama a paz, faz a paz e infunde paz, estará connosco. “A Paz seja com todos vós” é uma bênção querida; porém, que o Deus de paz esteja connosco, é uma bênção ainda maior. Assim, temos, tanto, a Fonte, como também, as suas correntes, temos o Sol, assim como, os seus raios. Se o Deus de paz está connosco, gozaremos da paz de Deus que sobrepuja todo o entendimento, ainda que as circunstâncias externas ameacem perturbar-nos. Se os homens disputarem, nós certamente seremos pacificadores, se o Autor da paz está connosco.

É no caminho da verdade que a paz real é encontrada. Se abandonarmos a fé, ou nos desviamos do caminho da justiça sob a noção de promover a paz, estaremos grandemente equivocados. Primeiro puros, e em seguida pacíficos, é a ordem da sabedoria e da verdade Mantenhamo-nos na senda traçada por Paulo, e teremos o Deus de paz connosco, da mesma maneira como Ele esteve com o Apóstolo.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: