… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 16 de março de 2017

16 de março



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
16 de março

“Sou um estrangeiro Contigo.” (Sl 39:12, KJV)

SIM, oh SENHOR, estrangeiro Contigo, mas não para Ti. A Tua graça retirou efetivamente toda a minha alienação natural por Ti; e agora, em comunhão Contigo, ando por este mundo pecador como um peregrino num país estranho. Tu és um estrangeiro no Seu próprio mundo. O homem esquece-Te, desonra-Te, estabelece novas leis e estranhos costumes e não Te conhece. Quando o Teu querido Filho veio para os Seus, os Seus não O receberam. “Ele estava no mundo, e o mundo foi feito por Ele, e o mundo não O conheceu.” Jamais um estrangeiro foi tão estranho entre os cidadãos de qualquer país como o Teu Amado Filho foi entre os irmãos da Sua mãe. Não é uma admiração, então, se eu, que vivo a vida de Jesus, sou desconhecido e um estrangeiro, neste vale de lágrimas. Senhor, eu não poderia ser um cidadão, onde Jesus foi estrangeiro. A Sua mão perfurada desatou as cordas que outrora ataram a minha alma à Terra, e agora, acho-me como um estrangeiro no mundo. A minha fala parece a estes Babilónios, entre os quais vivo, uma fala estrangeira, a minha conduta e as minhas ações são-lhes estranhas. Um Tártaro sentir-se-ia mais em casa em Cheapside, (topónimo, nome de uma rua em Londres) do que eu me sentiria nos lugares habitualmente frequentados pelos pecadores. Mas aqui está o encanto da minha sorte: Sou um estrangeiro Contigo. Tu és meu companheiro no sofrimento e na peregrinação. Oh, que gozo é andar em tão bem-aventurada companhia! O meu coração arde dentro de mim, enquanto Tu falas comigo, durante o caminho, e ainda que seja um peregrino, sou, contudo, mais feliz do que os que se sentam em tronos, e sinto-me muito mais em casa do que os que habitam em casas luxuosas.

“Para mim não importa nem o lugar, nem o tempo:
O meu país é em todo o lugar;
Posso estar calmo e livre de cuidados
Em qualquer terra, porque lá Deus está.

Enquanto buscamos, ou evitamos um lugar,
A alma não acha felicidade em nenhum deles:
Porém, com um Deus a guiar a nossa vida,
O gozo é igual, por irmos embora, ou por ficarmos.”



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: