… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 17 de março de 2017

17 de março

Oswald Chambers
My Utmost for His Highest
17 de março A PAIXÃO QUE CONTROLA O OBREIRO

Pelo que muito desejamos, … ser-lhe agradáveis” (2Co 5:9, ARC, Pt)

Pelo que muito desejamos...” Para não perder de vista e sempre manter à nossa frente o nosso objetivo fundamental, necessitamos duma decisão e dum esforço intencionais da nossa parte. Isto implica persistir ano após ano no que é a prioridade máxima, a qual não deve ser ganhar almas, fundar Igrejas ou ter avivamentos, mas procurar unicamente “ser-Lhe agradáveis.” A nossa inexperiência no espiritual não é o que nos leva ao fracasso, mas a nossa falta de diligência em nos mantermos na meta correta. Avalia-te diante de Deus pelo menos uma vez por semana e verifica se a tua vida se mantém à altura do padrão que Deus quer de ti. Paulo era como o músico que não necessita da aprovação do auditório, se pode obter o olhar de aprovação do seu Regente.



Qualquer meta que nos desvie por pouco que seja do objetivo central de ser “aprovado diante de Deus” (2Tm 2:15), pode terminar na nossa desqualificação. Aprende a discernir para onde te conduzem as tuas metas e entenderás por que é tão necessário ter os olhos postos em Jesus (Hb 12:2). Paulo falou da importância de controlar o seu próprio corpo para que não o levasse na direção errada: “Antes, subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha, de alguma maneira, a ficar reprovado” (1Co 9:27).



Tenho de aprender a relacionar todas as coisas com o objetivo principal e mantendo-o sem interrupção. O valor que tenho para Deus em público mede-se pelo que sou em privado. A minha meta principal na vida é agradar-Lhe e ser-Lhe agradável, ou é uma meta inferior, sem importar quão sublime ela possa soar?


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: