… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 19 de março de 2017

19 de março



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé

19 de março


“O SENHOR dará graça e glória.” (Sl 84:11, ARC, Pt)

Precisamos de graça, precisamente agora, e podemos obtê-la gratuitamente. O que pode ser mais livre do que um dom? Hoje receberemos graça que sustém, que fortifica, santificante e que satisfaz. Ele tem dado graça, diariamente, até agora, e, quanto ao futuro, essa graça ainda é suficiente. Se temos pouca graça, a falta encontra-se em nós; porquanto o SENHOR não é escasso de recursos, nem Ele é tardio para a dar em abundância. Podemos pedir tanta graça quanta queiramos e jamais temer uma recusa. Ele dá abundantemente e não lança em rosto.



Talvez o Senhor não dê ouro, porém, dar-nos-á graça; talvez não nos dê prosperidade, porém, dar-nos-á graça. Certamente Ele permitirá que tenhamos provações, porém dar-nos-á graça em proporção a elas. Seremos, possivelmente, chamados a trabalhar e a sofrer, mas com o chamamento virá toda a graça necessária.



E que «e» há no versículo — “e glória!” Ainda não necessitamos de glória, e nem ainda somos próprios para ela; contudo tê-la-emos na devida altura. Depois de termos comido o pão da graça, beberemos o vinho da glória. Temos de passar pelo lugar santo, que é a graça, para atingirmos o lugar santíssimo, que é a glória. Estas palavras “e glória” são suficientes para fazer com que um homem dance de alegria. Um pequeno espaço de tempo — um pequeno espaço de tempo, e logo a glória para sempre!


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: