… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 2 de março de 2017

2 de março



Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon
2 de março QUASE SALVOS

“E a mulher de Loth olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal.” (Gn 19:26, ARC, Pt)

Recorda a esposa de Loth e como ela ia a caminho de salvar-se. A senhora de Loth acreditou tanto na mensagem que veio a ela acerca da destruição da cidade que entrou em ação. Levantou-se cedo como o seu marido e preparou-se para deixar a casa. Correu pelas ruas, passou a porta da cidade e chegou ao vale juntamente com o seu marido.


Esta mulher estava verdadeiramente fora de Sodoma e quase em Zoar, a cidade refúgio e, não obstante, pereceu. Quase chega a salvar-se, mas não de todo. Deixa-me repetir estas palavras, porque elas descrevem a alguns de vós que estais aqui nesta hora e elas poderão ser o vosso epitáfio se não vos ocupardes com o que fazeis: «Quase se salva, mas não de todo». Escapou da forma mais vil do pecado mas não estava verdadeiramente em Cristo, a mente não se afastou dos ídolos, não renunciou à iniquidade na alma, embora, possivelmente tenha renunciado a ela numa obra externa.



Realmente deve ser horrível ter vivido com o povo de Deus, ter sido contado com eles, ter estado unido a eles por vínculos de sangue e depois, afinal, perecer! Ter escutado o evangelho, havê-lo experimentado, em certa medida, ter corrigido a vida de alguém devido a isto, ter escapado da corrupção mais suja do mundo e, sem embargo, não haver-se afastado do mundo, não se ter divorciado claramente do pecado e por consequência perecer, a ideia é intolerável. Aquela mesma salmoura e aquele enxofre que caíram nos habitantes das quatro cidades, alcançaram a esposa do Loth. Ela estava à beira do contratempo e ao cair salgou-se com fogo: ficou convertida numa estátua de sal justamente onde estava parada. Um destino espantoso!





A Bíblia, do princípio ao fim, num ano: Lv 17-20

 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: