… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 2 de março de 2017

2 de março

Oswald Chambers
My Utmost for His Highest
2 de março JÁ SENTISTE A DOR INFLIGIDA PELO SENHOR?
“Disse-lhe terceira vez… Amas-me?” (Jo 21:17, ARC, Pt)


Já alguma vez sentiste a profunda dor infligida pelo Senhor no mais íntimo do teu ser, na área mais sensível da tua vida? O diabo nunca inflige dor aí, nem tampouco o pecado ou as emoções humanas. Nada consegue atingir essa parte do nosso ser, a não ser a Palavra de Deus. “Simão entristeceu-se, por lhe ter dito terceira vez: Amas-Me?” No entanto, ele foi despertado para o fato de que no centro de sua vida pessoal, ele se encontrava consagrado a Jesus. E, então, ele começou a entender o que significava o interrogatório paciente de Jesus. Na mente de Pedro não ficava a menor dúvida; ele nunca poderia voltar a ser enganado novamente. E não havia necessidade de uma resposta apaixonada, nem necessidade de ação imediata ou de uma exibição emocional. Para ele foi uma revelação perceber quanto amava o Senhor e, com assombro, disse simplesmente: “Senhor, tu sabes tudo ...” Pedro começava a ver o quanto ele amava Jesus, e não teve necessidade de dizer: “Olha para isto ou aquilo como prova do meu amor.” Pedro estava começando a descobrir dentro de si o quanto verdadeiramente ama o Senhor. Ele descobriu que os seus olhos estavam tão fixos em Jesus Cristo que ele não viu mais ninguém em cima no céu, nem na terra em baixo. Mas ele só se apercebeu disso quando vieram as perguntas inquisitivas e dolorosas do Senhor. As perguntas do Senhor sempre me revelam o meu verdadeiro eu.




Oh, a maravilha da paciente franqueza e habilidade de Jesus Cristo em relação a Pedro! Nosso Senhor só faz perguntas no momento oportuno. De maneira excepcional, embora provavelmente nos ocorrerá pelo menos uma vez nas nossas vidas, Ele nos colocará num canto e nos ferirá com as Suas perguntas diretas. Então, compreenderemos que nós O amamos muitíssimo mais profundamente do que o possam dizer as nossas palavras, alguma vez.




Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: