… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 20 de março de 2017

20 de março




C. H. Spurgeon

Leituras Vespertinas

 20 de março
Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja.” (Ef 5:25, ARC, Pt)


QUE precioso exemplo Cristo dá aos Seus discípulos! Poucos professores poderiam atrever-se a dizer: “Se queres praticar a minha doutrina, imita a minha vida,” porém, como a vida de Jesus é a exata transcrição da perfeita virtude, Ele pode chamar a atenção para Si mesmo como modelo de santidade e como mestre da mesma. O Cristão deveria tomar como modelo nada, excepto Cristo. Em nenhuma circunstância, devemos estar satisfeitos, excepto quando reflitamos a graça que estava nEle. Como marido, o Cristão deve considerar como modelo a seguir a semelhança de Cristo Jesus e obrar de acordo com esse modelo. O verdadeiro Cristão deve ser um marido tal como Cristo foi para a Sua Igreja. O amor de um marido é especial. O Senhor Jesus guarda , no íntimo, pela sua Igreja um afeto peculiar que a eleva sobre o resto da humanidade. “Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo.” A Igreja eleita é a favorita do Céu, o tesouro de Cristo, a coroa da Sua cabeça, a pulseira de Seu braço, o peitoral do Seu coração, o próprio centro e essência do Seu amor. Um marido devia amar a sua esposa com um amor constante, porquanto assim Jesus ama a sua Igreja. Ele não varia no Seu afeto. Ele pode mudar a forma de manifestar o Seu afeto, mas o afeto, ele mesmo, é sempre o mesmo. Um marido devia amar a sua esposa com um amor permanente, porque nada “nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” Um verdadeiro marido ama a sua esposa com um amor cordial, fervente e intenso. Não é uma mera adulação. Ah! Amado, que mais podia Cristo fazer em prova do Seu amor do que o que Ele tem feito? Jesus tem um amor feliz para com Sua esposa. Ele tem muita estimação pela sua afeição, e deleita-Se nela com agradável complacência. Crente, tu maravilhaste do amor de Jesus; tu admira-lo, estás imitando-o? Nas tuas relações domésticas, é a regra e a medida do teu amor “como Cristo amou a Igreja”?



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: