… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 21 de março de 2017

21 de março


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
21 de março

“Podes atar as cadeias das Pleiades, ou soltar os atilhos do Orion?” (Jb 38:31, PJFA, Pt)

SE estamos inclinados a vangloriarmo-nos das nossas habilidades, a grandeza da natureza depressa nos mostrará quão pequenos somos. Nós não podemos mover a menor das cintilantes estrelas ou extinguir sequer um dos esplendores da manhã. Falamos de poder, mas os céus riem de nós com desprezo. Quando as Pleiades brilham na Primavera com alegria vernal, nós não podemos limitar as suas influências, e quando Orion reina nas alturas e o ano está atado com as cadeias do inverno, nós não podemos afrouxar os seus gelados atilhos. As estações acontecem de acordo com o que Deus determinou; nem ainda toda a espécie humana poderia introduzir nelas uma mudança. Senhor, o que é o homem?



Tanto no mundo espiritual como no material o poder do homem está limitado em todo o sentido. Quando o Espírito Santo derrama os Seus encantos na alma, nada pode perturbá-la; todas as astúcias e malícias dos homens são ineficazes para deter o vivificante poder do Consolador. Quando Ele determina visitar uma igreja e avivá-la, os inimigos mais inveterados não podem resistir à boa obra. Eles podem ridicularizá-la, mas não podem restringi-la, como tampouco podem fazer retroceder a primavera quando as Pleiades marcam a hora. Deus o quer e assim deve ser. Por outro lado, se Deus na Sua soberania, ou em justiça, ata um homem, de modo que ele está em escravidão de alma, quem o pode libertar? Só Ele pode tirar o inverno da morte espiritual de um indivíduo ou de seu povo. Ele solta os atilhos de Orion, e ninguém a não ser Ele pode fazê-lo. Como isto é uma graça divina Ele pode fazê-lo. Oh, se Ele realizasse o portento esta noite! Senhor, põe fim ao meu inverno e que a minha primavera comece. Eu não posso com todas as minhas ânsias levantar a minha alma da morte e do torpor, mas todas as coisas são possíveis para Ti. Eu necessito das celestiais influências, dos claros brilhos do Teu amor, dos fulgores da Tua graça, da luz do Teu rosto, estas coisas são as Pleiades para mim. Eu sofro muito pelo pecado e pela tentação, estes são meus signos invernosos, o meu terrível Orion. Senhor, obra maravilhas em mim e por mim. Ámen.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: